1. Usuário
Assine o Estadão
assine

PT suspende vereador acusado de morte de palmeirense

Raphael Ramos - O Estado de S.Paulo

25 Agosto 2014 | 17h 10

Raimundo Cesar Faustino, mais conhecido como Capá, ficará 60 dias impedido de fazer campanha para deputado estadual

O Partido dos Trabalhadores anunciou nesta segunda-feira que a Comissão Executiva do diretório estadual da legenda decidiu, por unanimidade, suspender por 60 dias Raimundo Cesar Faustino por suspeita de envolvimento na briga entre torcedores ocorrida em Franco da Rocha no último dia 17 e que terminou com a morte do palmeirense Gilberto Torres Pereira, 31 anos. Conhecido com Capá, Faustino é vereador em Francisco Morato e candidato a deputado estadual. Com a suspensão de ontem, ele está impedido de participar da campanha do partido e não aparecerá no horário eleitoral gratuito na TV e no rádio.

Capá chegou a apresentar a sua defesa ao PT, mas não convenceu os integrantes da Executiva sobre a sua participação na briga. “Os indícios que existem hoje são suficientes para a suspensão. Não temos tolerância para violência e não vamos compactuar com qualquer tipo de agressão”, disse o presidente estadual do PT, Emidio de Souza.

Agora, o caso de Capá será encaminhado para a Comissão de Ética, que terá 60 dias para analisar o episódio. “Enquanto isso, iremos aguardar as investigações da Polícia e da Justiça para verificar se novas medidas serão necessárias”, disse Emidio.

DIDA SAMPAIO/ESTADÃo
Capá já brigou com vascaínos em Brasília

Caso seja expulso do partido, Capá perderá o direito de concorrer a uma vaga na Assembleia Legislativa. Além de Capá, foram suspensos do PT Leonardo Gomes dos Santos e Gentil Chaves Siani, também acusados de participarem da briga em Franco da Rocha.

Capá é sócio da Gaviões da Fiel, principal organizada do Corinthians, desde 1988. Testemunhas dizem ter visto ele usando um tronco de árvore para agredir Pereira e que o vereador teria fugido no momento em que os policiais militares chegaram do local do crime. O corintiano prestou depoimento na segunda-feira da semana passada e foi liberado em seguida. Segundo o seu advogado, ele apenas socorreu os colegas que estavam apanhando dos palmeirenses e não tem envolvimento na morte de Pereira. A Polícia Civil pediu a prisão preventiva de Capá e aguarda o pronunciamento da Justiça.

Não é a primeira vez que o vereador se envolve em confusão com torcedores adversários. No ano passado, durante briga com vascaínos no Estádio Mané Garrincha, em Brasília, ele foi flagrado dando um chute em um policial militar. À época, alegou que estava apenas se defendendo.