Assine o Estadão
assine

Esportes

futebol

'Quero que Ganso volte à seleção brasileira', diz técnico do São Paulo

Bauza tenta desenvolver as atuações do jogador para a temporada

0

Ciro Campos,
O Estado de S. Paulo

15 Janeiro 2016 | 15h06

Das metas traçadas pelo técnico Edgardo Bauza neste início de temporada no São Paulo, uma não está vinculada aos resultados da equipe. O argentino revelou nesta sexta-feira ter o objetivo de desenvolver o futebol do meia Ganso durante a temporada para ajudá-lo a voltar às convocações da seleção brasileira, oportunidade que desde 2012 o jogador não recebe.

Aos 26 anos, o camisa 10 do São Paulo começou os testes de pré-temporada novamente como titular da equipe. "Creio que de todos nós, ninguém pode duvidar das condições dele. Eu propus a ela que tem de chegar à seleção outra vez. Vai depender pura e exclusivamente dele", afirmou Bauza. Ganso está no clube desde setembro de 2012, quando deixou o Santos em negociação de R$ 23 milhões.

O trabalho do argentino para desenvolver o potencial de Ganso será inclusive no aspecto psicológico. "Vamos tentar elevar seu nível futebolístico atual e que ajude a equipe a resolver situações que só ele nao pode resolver. Todos nós estamos juntos com ele para colocá-lo fisicamente fisicamente bem e muito melhor da cabeça, onde mais temos que trabalhar", explicou o argentino.

Na última temporada o jogador atuou em 55 partidas e marcou cinco gols. Atualmente Ganso não tem no plantel um substituto com as mesmas características de armar jogadas e cadenciar o ritmo da equipe. Quem costuma atuar na vaga dele nos treinos é Daniel, contratado pelo São Paulo no ano passado após passagem pelo Botafogo.

A possibilidade de perder Ganso para o futebol chinês preocupa Bauza. A sondagem do Hebei Fortune fez o argentino lamentar o risco de não contar com o meia pelo restante da temporada. "Se vier uma equipe e realmente pagar o que Ganso vale, seria injusto da minha parte dizer que não. Não sei se a equipe que quer contratar Ganso tem o suficiente para pagar. Não sou de frear se o jogador e o clube estão de acordo", disse o técnico.

Comentários