1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Rafinha é o artilheiro da Ferroviária que sai do banco de reservas

- Atualizado: 01 Março 2016 | 07h 23

Atacante fez o gol da vitória sobre o Palmeiras

Autor do gol da vitória da Ferroviária sobre o Palmeiras no Allianz Parque, o atacante Rafinha vive um paradoxo. É artilheiro do time com cinco gols, um a menos que o goleador do torneio, William Pottker, do Linense, mas é reserva do time de Araraquara. “Nenhum jogador fica feliz no banco, mas tenho paciência e estou esperando uma oportunidade”, diz o atacante.

A chance, na verdade, já veio. Ele começou como titular na derrota contra o Ituano por 3 a 2 na penúltima rodada, mas teve atuação apenas razoável. Nos outros jogos, entrou no segundo tempo e virou uma espécie de talismã. O técnico Sérgio Vieira costuma utilizá-lo como opção de velocidade para mudar o ritmo do ataque. Foi assim que o time venceu o Palmeiras aos 48 da etapa final. “Não dá para descrever a emoção de vencer um time grande. Poucos acreditavam na gente, só nós mesmos”, diz.

O atacante Rafinha, da Ferroviária, fez dos cabelos tingidos sua marca registrada

O atacante Rafinha, da Ferroviária, fez dos cabelos tingidos sua marca registrada

Aos 23 anos, Rafael Diniz Alves e Silva tem experiência de veterano. Natural de Alumínio (SP), já passou por Audax, Ponte Preta, Nacional e ABC de Natal. Jogou também pelo time B do Porto, de Portugal, em 2010. Chegou à Ferroviária no final de 2015 por meio de uma parceria com o Atlético-PR, detentor de seus direitos federativos.

No início do torneio, colocou na cabeça que teria de chamar a atenção de alguma forma. Além dos gols que foram surgindo, tingiu os cabelos e criou uma marca registrada que valeu o apelido de “Diabo Loiro” entre os companheiros.

A passagem por Portugal facilita o contato com o treinador, que veio de lá também para o time paranaense. “Ele estuda os rivais e passa tudo mastigado”, afirma. “Nosso time está tentando jogar como os grandes times, essa é a filosofia”.

Fernando Gabriel abriu o placar para a Ferroviária na arena com belo gol em cobrança de falta

Fernando Gabriel abriu o placar para a Ferroviária na arena com belo gol em cobrança de falta

 

 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EsportesX