Real perto de ter Ronaldo, diz jornal

O triângulo Ronaldo-Inter-Real Madrid volta a ser composto. A imprensa espanhola garantiu nesta quarta que os dois clubes firmarão acordo, nas próximas horas, a respeito da transferência do astro. Tudo dependeria de fixar a quantia e a forma de pagamento. A princípio, o negócio mais importante do verão europeu para a temporada de 2002-03 ficaria em torno de US$ 50 milhões mais o passe de um jogador ? provavelmente o volante Makelele. A discussão foi reaberta pelo jornal ?Marca?. O diário esportivo mais influente da Espanha deu grande destaque, em sua edição desta quarta, à retomada dos contatos entre os clubes. A reportagem não coloca em dúvida o sucesso da empreitada que o presidente Florentino Perez e o diretor de futebol Jorge Valdano conduzem há quase duas semanas. Desde que Alexandre Martins, um dos representantes de Ronaldo, esteve em Madri e propôs a transação, o clube se dispôs a ter mais um astro em seu elenco milionário, que tem também Roberto Carlos, Raúl, Hierro e Casillas. Segundo o ?Marca?, a ?desistência? do Real Madrid, anunciada solenemente por Valdano, dias atrás, não passou de estratégia. O ex-jogador e ex-treinador esteve o tempo todo atento ao desenrolar da novela. O presidente Perez, ao mesmo tempo, manteve canal aberto com seu colega italiano, o milionário Massimo Moratti. No ano passado, houve manobra semelhante para tirar o francês Zidane, da Juventus. O Real negaceou, recuou, fingiu desinteresse até o bote definitivo. Se a previsão do jornal der certo, o acordo deve ser anunciado antes do fim de semana. O contrato já estaria pronto ? falta apenas tornar-se público e oficial. Ronaldo seria apresentado, com grande festa, na semana que vem, em Madri, em solenidade no Santiago Bernabéu. Além do dinheiro, o passe de Makelele pode entrar como parte do pagamento. Outras opções seriam os brasileiros Flávio Conceição e Sávio ou o centroavante espanhol Guti. Mas o texto que os envolvidos na questão recitam é forrado de negativas. A cúpula do Real Madrid fechou-se em silêncio e não se manifesta nem por meio de sua assessoria de imprensa. Moratti repete, em Milão, que espera contornar o impasse com ?boa conversa? com Ronaldo. O técnico Héctor Cúper, aparentemente o pivô da crise, afirma, em Lisboa, que não tem ?problema algum? com o astro brasileiro, e devolve a ?fala? para os dirigentes do clube italiano. O encontro entre Moratti e Ronaldo pode ficar só na intenção e não se realizar. O artilheiro do Mundial de 2002 tinha embarque para o Rio previsto para noite desta quarta-feira. Como não está inscrito para a fase prévia da Copa dos Campeões da Europa, obteve licença para resolver ?assuntos particulares? no Brasil. Está prevista entrevista, no aeroporto do Galeão, mas a assessoria do atacante diz que ele só falará do amistoso da seleção, dia 21, contra o Paraguai. O assunto mais importante, porém, continua a ser tabu. A voz de Ronaldo, no caso, são só seus representantes. O fim da novela aponta cada vez mais para a cidade de Madri.

Agencia Estado,

14 Agosto 2002 | 11h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.