Washington Alves/Cruzeiro
Washington Alves/Cruzeiro

Receoso com a Vila Belmiro, Cruzeiro muda estratégia para enfrentar o Santos

Mano Menezes admite poder do estádio do rival e, com ausência do meia Rafinha, irá escalar três volantes

Estadão Conteúdo

28 Maio 2017 | 09h18

A Vila Belmiro é uma das grandes preocupações do Cruzeiro para enfrentar o Santos neste domingo, às 16 horas, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro. Como salientou o técnico Mano Menezes, o estádio em Santos costuma impulsionar o ímpeto ofensivo do time mandante, o que exige uma estratégia diferenciada do adversário.

E Mano Menezes já encontrou a sua para este domingo: aproveitando a ausência do meia-atacante Rafinha, vetado com dores musculares na região abdominal, ele deve apostar em uma escalação mais cautelosa, com três volantes.

Assim, o meio de campo deve ser composto por Henrique, Hudson e Ariel Cabral, além de Arrascaeta e Alisson, que atuarão mais adiantados. Outra novidade pode ser a presença de Rafael Marques no lugar de Ábila.

"A Vila Belmiro, por tradição, faz com que o Santos tome a iniciativa, dê volume ao jogo. Quando você tiver a bola, você precisa reter, tirar a velocidade do Santos. Mas cada jogo é cada jogo", detalhou o treinador, explicando a sua opção pelos três volantes e por Rafael Marques. "A gente não tinha visto como o Rafael Marques como se comportava. É um jogador que chegou e estamos conhecendo suas características".

Segurar o Santos na Vila Belmiro pode ter um impacto importante na tabela de classificação. O Cruzeiro soma quatro pontos e está atualmente em quarto lugar, empatado com Chapecoense e Corinthians. Uma vitória, assim, pode colocá-lo entre os líderes do Brasileirão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.