Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

Recuperação de peças ofensivas deixa Dorival esperançoso em evolução santista

Técnico credita melhora da equipe aos desempenhos de Ricardo Oliveira, Vitor Bueno e Lucas Lima

Leandro Silveira, Estadao Conteudo

06 Maio 2017 | 09h06

O Santos entrou em campo para enfrentar o Independiente Santa Fe na última quinta-feira, no estádio do Pacaembu, ostentando a melhor defesa da fase de grupos da Copa Libertadores, com apenas um gol sofrido em três jogos, mas foram jogadores do setor ofensivo que deixaram o campo com o moral elevado - ou ao menos recuperado. Foram os casos de Ricardo Oliveira, Lucas Lima e Vitor Bueno, destaques do sofrido triunfo por 3 a 2, no duelo pelo Grupo 2.

Eleito a revelação do Campeonato Brasileiro de 2016, Vitor Bueno vinha sendo o jogador mais contestado na escalação pelo torcedor santista, ainda mais pela forte concorrência de nomes como os dos colombianos Vladimir Hernández e Copete. E embora não tenha perdido seu espaço no time, havia sido substituído nos nove jogos anteriores em que defendeu o Santos.

A situação se repetiu na noite de quinta-feira, quando não brilhou. Mas o seu esforço acabou sendo premiado com mais um gol marcado, o quinto em 17 jogos oficiais pelo Santos em 2017 - também fez dois em amistoso contra o marroquino Kenitra -, condição que lhe deixa como artilheiro do Santos. E essa condição foi destacada pelo técnico Dorival Júnior, que descartou a possibilidade de sacá-lo do time.

"É questão de tempo para ele ter a confiança de volta. É nosso artilheiro ao longo do ano, não perco a confiança em um jogador como esse. Espero que continue mostrando personalidade para readquirir a melhor condição", afirmou o treinador santista, saindo em defesa de Vitor Bueno.

Artilheiro do Santos em temporadas recentes, Ricardo Oliveira está longe de repetir o desempenho de outrora em 2017. Mas, na noite de quinta, voltou a se reencontrar com as redes, abrindo o placar da vitória por 3 a 2. Com isso, chegou aos três gols em 11 partidas pelo clube neste ano, além de ter encerrado um jejum que vinha incomodando e vigorava desde 19 de março, quando tinha marcado pela última vez.

Para Dorival, esses gols podem ser fundamentais para a dupla readquirir a confiança e ajudar o Santos a reencontrar o nível de atuações que lhe rendeu o vice-campeonato brasileiro no ano passado. "Alguns jogadores que não vinham fazendo gols, voltaram a fazer, o que é muito importante para dar confiança. Espero que daqui para frente a gente recupere o nosso nível de atuação", comentou.

Mas, se Ricardo Oliveira e Vitor Bueno foram às redes, Lucas Lima teve participação direta nisso, afinal, deu a assistência para os gols de ambos. Além disso, cobrou o escanteio do terceiro gol santista, marcado por Lucas Veríssimo, confirmando ter sido o grande destaque da vitória sobre o Santa Fe.

Satisfeito com a atuação do meia, que abusou dos dribles e da velocidade para fugir da marcação do time colombiano, Dorival apontou Lucas Lima como diferencial da sua equipe e negou que ele esteja oscilando nas últimas temporadas. "O Lucas vem fazendo um ano bem diferente do meio para o fim de 2016, melhorou fisicamente, acrescenta muito. É nosso diferencial na Libertadores", comentou.

Com o Santos eliminado precocemente do Campeonato Paulista - caiu nas quartas de final -, Dorival reconheceu que o time tem decepcionado em 2017, mas prometeu que será dada uma resposta positiva na sequência da temporada. "Para essa temporada, era natural que se esperasse um time em alto nível. Estamos refazendo uma situação, pois tivemos muitos problemas em janeiro", justificou.

A vitória sobre o Santa Fe levou o Santos aos oito pontos, o manteve na liderança do Grupo 2 da Libertadores e o deixou mais perto da classificação às oitavas de final, mas ainda ficou a impressão de falta de equilíbrio durante o confronto, algo essencial para o time deslanchar na temporada.

Para Dorival, isso é uma questão de tempo. "Natural esperar o jogo de transformação. Mas o time vem crescendo muito e isso está próximo de acontecer. Estamos muito mais próximos do que queríamos em comparação com alguns jogos atrás", comentou.

Após o triunfo no Pacaembu, o Santos voltará a entrar em campo na próxima quarta-feira, quando vai encarar o Paysandu, no Mangueirão, no jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil. Na ida, na Vila Belmiro, venceu por 2 a 0.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.