Lucas Uebel/Grêmio FBPA
Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Renato Gaúcho minimiza cobranças e diz que presidente 'veio dar abraço no grupo'

Romildo Bolzan Júnior visitou os jogadores

Estadão Conteúdo

12 Maio 2017 | 14h02

O técnico Renato Gaúcho evitou valorizar nesta sexta-feira as cobranças feitas pelo presidente do Grêmio, Romildo Bolzan Júnior, em entrevista coletiva na quinta. O mandatário também se reuniu com o elenco e com a comissão técnica, às vésperas da estreia da equipe no Brasileirão.

"O presidente é uma pessoa muito querida por mim e por todo o grupo do Grêmio. Ontem ele conversou com o grupo, com membros da comissão técnica. Veio dar total apoio da comissão, porque temos essa maratona de jogos decisivos. Veio dar um abraço, um carinho para todo mundo", disse o treinador.

De acordo com Renato Gaúcho, Bolzan Júnior deu apenas apoio ao time, sem fazer cobranças. "Se ele viesse fazer cobranças, ele tem todo o direito porque é o presidente do clube, são eles que mandam no clube. Nós somos empregados. Agora, queria deixar bem claro que o presidente veio para dar um abraço no grupo, passando a responsabilidade que temos pela frente", afirmou, ao tentar minimizar a visita.

Para o técnico, a reunião com o presidente foi motivada pela maratona de jogos que o time vai enfrentar nas próximas semanas em diferentes competições. "A maratona é o preço que paga por trabalhar num grande clube. Vamos disputar o Brasileiro, na próxima quarta tem Copa do Brasil, depois tem Brasileiro de novo, Libertadores. E lá na frente tem a Copa da Primeira Liga. Clube grande é isso", declarou.

Após o encontro, o presidente concedeu entrevista coletiva, na qual demonstrou preocupação com a sequência de jogos. Mas não deixou de demonstrar preocupação com os resultados recentes da equipe, eliminada na semifinal do Campeonato Gaúcho e derrotada na última rodada em seu grupo na Libertadores.

"Nós estamos considerando este momento importantíssimo para o clube porque estamos, nesse mês de maio, fazendo o começo de muitas competições: do Campeonato Brasileiro, da Copa do Brasil e a finalização e o começo, por consequência, de uma fase de oitavas na Libertadores. Duas competições definidas em mata-mata e uma competição que é classificatória de longo prazo. E o futebol nos reserva muitas surpresas", ressaltou Bolzan.

Mais conteúdo sobre:
futebol Grêmio Renato Gaúcho

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.