Lucas Uebel/Grêmio/Divulgação
Lucas Uebel/Grêmio/Divulgação

Renato Gaúcho nega crise no Grêmio por saída de Valdir Espinosa

A boa notícia é o retorno do meia Douglas, que fez o primeiro treino com bola após seis meses de recuperação

Estadao Conteudo

11 Agosto 2017 | 14h58

O técnico do Grêmio, Renato Gaúcho, lamentou em entrevista coletiva nesta sexta-feira a demissão do coordenador de futebol do clube Valdir Espinosa, de quem é amigo pessoal desde os anos 1980 - ambos foram campeões da Copa Libertadores e Mundial Interclubes juntos pelo time tricolor gaúcho, em 1983 - e que mantinha uma dupla desde o retorno de ambos à equipe, em setembro do ano passado. No entanto, Renato evitou emitir opinião sobre a decisão da cúpula gremista.

 

"Sem dúvida fiquei triste, além de um grande profissional, é meu amigo particular. Mas tem coisas no clube que não cabe ao Renato decidir. Decido o grupo, em campo. No clube tem hierarquia. Estava trabalhando e fiquei sabendo após o treinamento do problema, que o Espinosa falou. Depois conversou comigo. Fica difícil até para mim falar muito. Mas existe uma hierarquia, eu sou empregado e não cabe a mim decidir certas coisas. Cabe à diretoria e ao presidente. E cabe a mim ter que acatar", frisou o treinador.

Renato Gaúcho também negou que a saída de Valdir Espinosa desencadeie uma crise dentro do clube em um momento crucial na temporada. "No Grêmio não tem crise. Enquanto estiver no Grêmio, não tem crise. A única crise que pode entrar no Grêmio é no momento que o clube não obter mais vitórias. No momento que os resultados não aparecerem, não pela saída do Espinoza. Podia ter sido a saída do Renato ou de qualquer outra pessoa", garantiu.

 

Neste domingo, o Grêmio enfrentará o Botafogo - próximo adversário na competição continental - pela 20.ª rodada do Campeonato Brasileiro, às 19 horas, no estádio do Engenhão, no Rio. O time gaúcho é vice-líder da competição com 39 pontos, enquanto que o clube carioca ocupa a 11.ª posição, com 25.

 

O elenco gremista treinou nesta sexta-feira no CT Luiz Carvalho, em Porto Alegre. Mas os atletas que iniciaram o duelo contra o Godoy Cruz, na última quarta, fizeram apenas uma atividade regenerativa. Somente o volante Ramiro participou normalmente do treinamento de campo. O lateral-esquerdo Bruno Cortez, o meio-campista Michel, o lateral-direito Léo Moura e o zagueiro Kannemann correram em volta do gramado.

 

A nota positiva do treinamento foi a movimentação do meia Douglas, que fez o primeiro trabalho com bola após seis meses em recuperação de uma lesão no joelho. O jogador de 35 anos rompeu o ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo durante um treino da equipe, em fevereiro.

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.