1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Reunião da Primeira Liga com a Ferj acaba com tímido avanço para resolver impasse

- Atualizado: 21 Janeiro 2016 | 19h 25

Fla e Flu ainda podem ser punidos se jogarem o torneio

Com a primeira rodada marcada para a próxima semana, a Primeira Liga - competição que integra os clubes da Copa Sul-Minas-Rio - deverá começar em meio a incertezas. Nesta quinta-feira, o presidente do Cruzeiro e da liga, Gilvan Tavares, reuniu-se com o presidente da Federação de Futebol do Rio (Ferj), Rubens Lopes, para tentar pôr fim ao impasse que envolve a participação de Flamengo e Fluminense na competição. Mas, no encontro realizado na CBF, apenas parte do problema foi resolvido.

O imbróglio envolve a promessa da Ferj em punir os dois times cariocas caso eles insistam em disputar a competição. A federação não dá aval ao torneio este ano e exige que ele tenha aval oficial da CBF para a próxima temporada. Além disso, quer que os times que disputem a Primeira Liga sejam definidos por critério técnico - caso sejam duas vagas para o Rio, entrariam o campeão e o vice do Estadual anterior, e não necessariamente Flamengo e Fluminense, que estão entre os fundadores da Sul-Minas-Rio.

Gilvan é presidente do Cruzeiro e da Primeira Liga

Gilvan é presidente do Cruzeiro e da Primeira Liga

"Da parte da Ferj ficou claro que desportivamente a liga não está legal. A Ferj reconhece e abraça a possibilidade de uma competição interestadual em 2017, mas para 2016 não é possível, vez que não cumpre os preceitos estatutários da CBF, nem da Ferj, a que estão subordinados", disse Rubens Lopes ao Estadão.

O cartola declarou que o encontro com Gilvan Tavares nesta quinta-feira se deu "em clima bastante amistoso". "O diálogo deu-se na tentativa de um acordo em relação à liberação pela Ferj para partidas de cunho meramente amistoso. Ficou claro que a radicalização de qualquer uma das partes poderá ensejar demandas judiciais, inclusive contra a CBF. Estamos em busca pelo entendimento", afirmou Rubens Lopes.

Na reunião, houve um pequeno avanço. Lopes "autorizou" jogos dos times do Rio nas duas primeiras datas fixadas na tabela da Primeira Liga, mas desde que os jogos sejam em caráter meramente amistoso. E, para ter certeza de que Flamengo e Fluminense não estarão disputando um torneio, o cartola não pretende liberar jogos para as datas em que estão marcadas a semifinal e final.

"Encaramos estas partidas como amistosos. Seriam duas datas. A primeira no dia 27 deste mês e a outra ainda a se estudar, mas possivelmente no sábado de carnaval. Isso, se os clubes também assumirem o compromisso", sentenciou. 

Na saída do encontro, Gilvan Tavares procurou demonstrar otimismo. “Estamos esperançosos de que tudo correrá normalmente em 2016, conforme decisão da assembleia da Liga. Vou conversar com os clubes, achamos que tivemos uma receptividade muito boa por parte do presidente da FERJ”, declarou o dirigente, de acordo com o Globoesporte.com.

O secretário-geral da CBF, Walter Feldman, participou do encontro com função "diplomática" e disse crer em um entendimento. "Talvez não tenhamos já decidido a finalização do processo, mas é muito claro que o Gilvan e o Rubens Lopes poderão avançar por um acordo que reduza ou extinga o conflito que até agora existiu", avaliou.

Apesar do imbróglio, Flamengo e Fluminense vem insistindo que participarão da disputa. Um dia antes do encontro, enquanto o grupo de jogadores estava nos Estados Unidos para a disputa da Florida Cup, uma equipe técnica do Fluminense foi a Brasília para verificar a situação do estádio Bezerrão, local inicialmente marcado para a estreia na Primeira Liga - o estádio acabou sendo reprovado. "De nossa parte, nada mudou o planejamento", informou a assessoria do clube.

Já o Flamengo também assegura que está pronto para o torneio. "Estamos preparados para jogar. Nosso planejamento é para isso", declarou a assessoria do time rubro-negro, também na quarta-feira. O clube também não considera que será punido. "O departamento jurídico estudo o caso há meses para dar tranquilidade quanto a isso".

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EsportesX