Juan Ignacio Roncoroni/EFE
Juan Ignacio Roncoroni/EFE

Réver nega ter tentado combinar empate com adversário na eliminação do Flamengo

Zagueiro deu versão diferente da contada por Nicolás Blandi, atacante da equipe argentina

Estadão Conteúdo

18 Maio 2017 | 20h30

Acusado de ter tentado combinar um empate entre San Lorenzo e Flamengo com um atacante argentino, na partida que selou a eliminação brasileira da Libertadores, Réver se manifestou nesta quinta-feira. O zagueiro flamenguista negou a versão do adversário Nicolás Blandi e ressaltou sua trajetória no futebol.

"Lamento muito por sofrer uma acusação muito séria. Todos que me acompanham desde o início da minha carreira sabem do meu caráter, da minha conduta e da minha ética profissional. Creio que se não agisse com correção e profissionalismo, não teria chegado à seleção brasileira, assim como defendido grandes clubes, no Brasil e na Europa, sendo capitão de uma equipe campeã da Libertadores", escreveu nas redes sociais.

Nesta quinta-feira, Blandi afirmou que em certo momento do segundo tempo do confronto entre San Lorenzo e Flamengo, quando o placar apontava 1 a 1, Réver tentou convencê-lo de que o empate classificava ambas as equipes, o que não era verdade, uma vez que na outra partida do grupo o Atlético-PR vencia a Universidad Católica. Os argentinos, no fim, buscaram o gol que lhes garantiu o triunfo e a vaga, eliminando o time carioca.

"Íamos nos inteirando sobre tudo o que estava acontecendo, mas no fim, foram muitos gols juntos e estava um pouco confuso. Uma hora estávamos dentro, outra hora fora. Em uma das últimas jogadas, eu estava perto do capitão deles, que me disse que o outro jogo estava empatado e que classificávamos os dois. Mas eu sabia que era mentira. Cinco minutos antes, já tinham me avisado do banco que precisávamos de outro gol", contou Blandi à Fox Sports da Argentina.

Mais conteúdo sobre:
Futebol futebol Flamengo Libertadores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.