Rivaldo será o 10 "virtual" no Milan

A contratação de Rivaldo desencadeou impasse no Milan. O português Rui Costa, ?dono? da camisa 10, avisou que não abriria mão da precedência, com a chegada do colega famoso, e manteria o número que ostenta há várias temporadas. Para não criar clima ruim, a diretoria e a comissão técnica sugeriram ao campeão do mundo que use a 11. Mas estudou uma compensação. A solução, segundo revelou hoje o jornal Corriere dello Sport, viria por meio de um truque gráfico. A saída seria inventar moda na forma de impressão do nome do principal reforço para a temporada de 2002-03. ?Rival? seria escrito normalmente. O ?D? teria um colorido especial, que o fizesse aproximar-se do número ?1?. A letra ?O? viria no mesmo tom. Pronto, ali estaria o ?10? virtual, que agradaria a todos. A proposta não é apenas uma forma de reconhecer a importância de Rivaldo e nem solução diplomática. Há fundo econômico. A maioria dos artigos esportivos com a marca de Rivaldo levam o número 10 - até as chuteiras. Se houvesse alteração acentuada, ele sentiria conseqüências desastrosas no bolso. Nessa história, quem teve de abrir mão foi o sueco John Tomasson, que usou a 11 na temporada passada. Rivaldo aparentemente não se incomoda. Como a fase é de adaptação, e de reconhecimento de terreno, prefere ficar quieto e trata de recuperar a forma. A intenção do técnico Carlo Ancelotti é fazer com que esteja em condições de ser aproveitado na semana que vem, em jogo pela fase prévia da Copa dos Campeões. Seria também motivo para atrair público ao estádio Giuseppe Meazza.

Agencia Estado,

09 Agosto 2002 | 19h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.