Robinho, o garoto que emocionou Pelé

Mesmo tendo apenas 18 anos, o garoto Robinho já tem histórias para contar. Ter levado a defesa do Corinthians ao desespero há pouco mais de uma semana, na vitória por 3 a 1, na Vila, é uma delas. Mas há muito mais com o que sonhar. A maior esperança do angustiado Santos quase arrancou lágrimas de Pelé quando os dois se encontraram, há dois anos. Era apenas mais um treino do infantil, em março de 1999. Pelé, então supervisor das categorias de base, de repente entrou em campo e começou a conversar com um negrinho espigado. Quando voltou para o banco, o Rei satisfez a curiosidade dos repórteres. Disse que dera uma orientação para o menino, que passou o resto do treino encabulado e olhando para o ídolo. Leia mais no Jornal da Tarde

Agencia Estado,

04 Agosto 2002 | 10h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.