Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Rodrigo Caio lamenta terceira eliminação: 'A cobrança será muito forte agora'

Zagueiro pede que equipe 'coloque a cabeça no lugar' após vexame ocorrido no Morumbi

Paulo Favero e Felippe Scozzafave, O Estado de S.Paulo

12 Maio 2017 | 00h34

 Os jogadores do São Paulo lamentaram a terceira eliminação seguida do time na temporada. Depois de cair na Copa do Brasil para o Cruzeiro e ser despachado pelo Corinthians na semifinal do Campeonato Paulista, o tricolor deu adeus à Copa Sul-Americana, na primeira fase, ao empatar por 1 a 1 com o Defensa y Justicia - o jogo de ida na Argentina foi 0 a 0.

"Infelizmente saímos em três competições e agora só nos resta o Campeonato Brasileiro. Temos 38 rodadas para buscar o título. Precisamos levantar a cabeça e sabemos que a cobrança será muito forte a partir de agora", explicou o zagueiro Rodrigo Caio, um dos poucos atletas do time que falou depois do fiasco no Morumbi.

Os jogadores tinham dificuldade para encontrar palavras sobre a eliminação. Até porque o adversário fazia apenas sua primeira partida oficial fora da Argentina e não tem qualquer tradição em competições continentais. "É difícil argumentar agora. Todo mundo será criticado, então temos de colocar a cabeça no lugar, continuar treinando e domingo temos outro jogo", continuou o defensor.

O atacante Lucas Pratto foi outro que não se negou a falar após a vexatória eliminação do São Paulo na Copa Sul-Americana. E deu razão à torcida, que vaiou fortemente o time após o empate por 1 a 1 com o Defensa y Justicia, da Argentina, em pleno estádio do Morumbi, na capital paulista.

"(A vaia) é justa, a gente foi eliminado de três competições", disse o argentino sobre a insatisfação da torcida. "Precisamos de uma vitória urgentemente".

Antes da partida desta quinta-feira, a equipe do Morumbi já havia sido desclassificada na semifinal do Campeonato Paulista (eliminada pelo Corinthians) e na quarta fase da Copa do Brasil (eliminada pelo Cruzeiro). Assim, o São Paulo chegou ao duelo contra o Defensa y Justicia com 17 dias sem partidas oficiais, que foram utilizadas por Rogério Ceni e sua comissão técnica para aprimorar os treinamentos.

A Copa Sul-Americana era um atalho para o São Paulo chegar à Copa Libertadores do próximo ano. A intenção era repetir o título conquistado em 2012, o último da equipe, que vive um jejum de conquistas que incomoda seu torcedor. Só que a eliminação precoce deixou a equipe apenas na disputa do Brasileirão no restante da temporada. Para esse duelo, o técnico Rogério Ceni terá a volta de Maicon, que cumpriu suspensão na Copa Sul-Americana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.