Assine o Estadão
assine

Esportes

Corinthians

Rodriguinho tira Corinthians do sufoco com gol no fim na arena

Meia faz aos 45 do 2º tempo e time se reencontra com as vitórias

0

Gonçalo Junior,
O Estado de S. Paulo

27 Fevereiro 2016 | 23h12

O toque de Rodriguinho aos 45 do segundo tempo fez mais do que garantir uma vitória suada sobre o Oeste por 1 a 0 no Itaquerão. O tento garantiu o triunfo do Corinthians após uma jornada ruim, em que o time criou pouco e sofreu dentro de casa. Nervoso – coisa rara na temporada – , o time conseguiu interromper a sequência de dois empates.

Rodriguinho foi um herói improvável. Destaque do América-MG em 2013, o meia chegou com o aval de Tite, mas não era a primeira opção para o meio. Foi emprestado, voltou e, aos poucos, vem ganhando espaço. É um coadjuvante que brilhou em um momento importante.

Apesar da larga diferença entre as duas campanhas  – o Corinthians é líder do seu Grupo D e o Oeste, lanterna do A –, a primeira chance corintiana só apareceu aos 26, quando Lucca chutou por cima.

Antes disso, o time do interior surpreendeu e conseguiu anular as principais jogadas do Corinthians. Antes disso, a torcida só havia se exaltado quando o sistema de som anunciara a derrota do São Paulo.

A exemplo do que a Ferroviária e o São Bento tinha feito nos últimos jogos, o Oeste marcou bem, mas soube tocar a bola quando conseguia roubá-la. Destaque para o veterano Marcelinho Paraíba. Aos 40 anos, foi o mais lúcido em campo. Não conseguiu nenhum grande lance de perigo, mas sempre tomava a decisão certa.

O Corinthians teve poucos méritos no ataque. O time não se encontrou com a escalação proposta por Tite. Pensando na partida de quarta-feira pela Libertadores diante do Independiente Santa Fe, o técnico fez três alterações e escalou Guilherme, Giovanni Augusto e André. O primeiro foi substituído por Luciano no início do segundo tempo; o último só chamou a atenção pelo gol que perdeu aos 41 da etapa inicial.

A superioridade técnica do Corinthians espremeu o Oeste em seu campo no segundo tempo. Mas, pela primeira vez na temporada, o Corinthians se mostrou afobado, fazendo cruzamentos na área sem a habitual construção de jogadas. Algumas chances surgiram, como a saída em falso do bom goleiro Fabio, desperdiçada por Romero. Todas nasceram das falhas do adversário. O Corinthians ficou devendo futebol, mas foi salvo por Rodriguinho.

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS 1 x 0 OESTE

Corinthians: Matheus Vidotto; Fagner, Felipe, Yago e Uendel; Bruno Henrique, Giovanni Augusto, Rodriguinho e Guilherme (Luciano); Lucca (Romero) e André (Danilo). Técnico: Tite

Oeste: Fabio; Léo Príncipe, Brinner, Daniel Gigante, Dionísio (Danielzinho); Guilherme Amorim, Elivélton, Mazinho e Betinho; Maurinho e Marcelinho Paraíba (João Gabriel). Técnico: Renan Freitas. 

Árbitro: José Claudio Rocha Filho.

Cartões amarelos: Léo Príncipe e Yago.

Público: 28.717 pagantes.

Renda: R$ 1.460.902,00.

Local: Itaquerão, em São Paulo.

Comentários