Bruno Cantini/Atlético-MG
Bruno Cantini/Atlético-MG

Roger esconde escalação e destaca força do Atlético-MG no Independência

Clássico contra o Cruzeiro vai decidir o título

Estadão Conteúdo

05 Maio 2017 | 14h18

O técnico Roger Machado pode fazer alterações na escalação do Atlético Mineiro para a decisão estadual contra o Cruzeiro, no próximo domingo, no Independência, mas evitou dar qualquer dica sobre o que pretende realizar na sua entrevista coletiva nesta sexta-feira, embora tenha revelado que a boa atuação do time misto na goleada por 5 a 1 sobre o Sport Boys, na Bolívia, na última quarta-feira, aumentou o seu leque de opções para o confronto decisivo.

No duelo pela Libertadores, Roger fez cinco mudanças em relação ao time que empatou por 0 a 0 com o Cruzeiro no primeiro jogo da decisão do Campeonato Mineiro. Entraram no time Felipe Santana e Rafael Moura, reservas que dificilmente ganhariam uma chance como titulares no domingo, além de Adilson, Cazares e Otero, candidatos a serem surpresas na escalação do Atlético.

"Tudo vai depender muito da forma como a gente vai atuar, da estratégia que vamos usar e de quem está melhor. O jogo pela Libertadores colocou mais opções, nos deu mais opções, gostei do que vi. Mas ainda tem o treino de amanhã. Hoje, é deixar os atletas descansarem, digerir, ver o jogo novamente, para nos certificar das coisas que fizemos, ver novamente o primeiro clássico da decisão para ter as maiores informações possíveis e poder decidir pela coisa mais apropriada", afirmou Roger.

Com ingressos esgotados desde o noite de quinta-feira, o Atlético contará com apoio maciço da sua torcida no próximo domingo. Ao mesmo tempo, possui a vantagem de só precisar de um empate para levar o título. Roger garante, porém, que não vai orientar seus jogadores a atuarem com o regulamento e não pelo regulamento.

"É bem provável que o Independência esteja com lotação máxima, uma confiança muito grande do nosso torcedor em função da decisão de domingo. Com relação à vantagem que temos de jogar por dois resultados iguais, conquistada na primeira fase, o que tenho dito aos jogadores é que temos que saber jogar com a vantagem, mas não pela vantagem. Desejamos vencer o clássico e nos tornar campeões mineiros, o que pode acontecer com vitória ou empate. Mas temos que entender e saber jogar o clássico da maneira que deve ser, procurando vencer", disse.

Transformado em principal casa do Atlético desde a reinauguração em 2012, o Independência foi mais uma vez escolhido pelo clube para um duelo decisivo. Sob o comando de Roger, o time venceu os nove jogos que fez como mandante no estádio em 2017. E o treinador espera que a equipe dê mais uma exibição de força no estádio para faturar o título.

"A nossa casa tem as nossas referências e o aproveitamento dentro de casa nos passa a confiança de entrar sempre no jogo buscando a vitória, independente do momento em que estamos na competição ou do adversário que vamos enfrentar. Mas as decisões têm elementos emocionais diferentes. Com a nossa torcida, o estádio cheio e a possibilidade de nos tornarmos campeões, isso tudo levado para dentro de campo são ingredientes que podem conspirar a nosso favor", concluiu.

Mais conteúdo sobre:
futebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.