AP
AP

Roma acredita que obra do seu estádio começará em 2015

Clube apresentou o projeto da arena para a prefeitura há um ano

Estadão Conteúdo

03 Março 2015 | 10h25

O presidente Roma, o investidor norte-americano James Pallotta, permanece otimista de que a construção do estádio do clube, inspirado no Coliseu, começará até o final do ano, embora a execução do projeto vem sendo postergada por um longo processo de aprovação envolvendo autoridades municipais e regionais.

Quando a Roma apresentou o projeto seu estádio para a prefeitura da cidade há um ano, o plano era tê-lo aberto para a temporada 2016/2017. "Ele está indo realmente muito bem. Todo mundo quer isso, o prefeito, a câmara da cidade, é apenas um projeto incrivelmente complexo," disse Pallotta.

"Não é um estádio de futebol que é só para futebol. Há um complexo de escritórios, há um centro de treinamento, há 28 mil metros quadrados de espaço de entretenimento ao vivo. Será um espaço também para festivais, shows e jogos universitários de futebol. Portanto, é uma instalação muito, muito complicada".

Com o nome "Stadio della Roma" até os naming rights serem vendidos, a arena terá capacidade para 52.500 espectadores, que poderá ser aumentada para 60 mil em partidas de maior interesse.

Pallotta se reuniu com o prefeito de Roma, Ignazio Marino, na última sexta-feira para discutir o projeto. "Há muito otimismo e muita segurança para começar a ver os trabalhadores construindo o estádio até o final de 2015", disse Marino após a reunião.

Os custos de construção do estádio são estimadas em 300 milhões de euros (aproximadamente R$ 970 milhões), mas o preço total, incluindo obras de infraestrutura e transporte, pode superar o valor de 1 bilhão de euros (mais de R$ 3,2 milhões).

Com a Roma interessada em sediar a Olimpíada de 2024, o novo estádio também poderia ser usados para o futebol e outros esportes durante os Jogos se a cidade for a escolhida pelo Comitê Olímpico Internacional.

O novo estádio será na área de Tor di Valle, no sudoeste da cidade, no meio do caminho entre o centro de Roma e o Aeroporto de Fiumicino. Ele está localizado nas margens do rio Tibre, o que provoca a oposição de alguns ambientalistas.

Durante anos, a Roma vêm dividindo o Estádio Olímpico com a rival Lazio, arena que é controlada pelo Comitê Olímpico Italiano. O estádio é a grande meta da Roma desde que o clube foi comprado por um grupo de quatro homens executivos de Boston em 2011. Ele está sendo projetado pelo arquiteto norte-americano Dan Meis, que planejou vários estádios nos Estados Unidos, além da Saitama Super Arena, no Japão.

Mais conteúdo sobre:
futinter futebol Roma futebol internacional

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.