Ronaldo define futuro em 48 horas

O futuro de Ronaldo vai ser definido nas próximas 48 horas. A informação é de um dos empresários do jogador, Reinaldo Pitta. O atacante retornou nesta terça-feira a Milão, conversou por 1h30 com o vice-presidente da Internazionale, Rinaldo Ghelfi - "escalado? pelo presidente Massimo Moratti para recebê-lo -, e reiterou seu desejo de deixar o clube italiano. Reinaldo Pitta garantiu que não há multa rescisória para liberá-lo do contrato que se encerraria apenas em 2006. "A liberação vai sair logo?, disse o empresário. Ele acrescentou que em dois dias o clube italiano vai receber proposta oficial por Ronaldo. A proposta provavelmente será do Real Madrid, mas não está descartada a possibilidade de o Manchester United agir mais rápido. Nesta quarta-feira pode ser dado o primeiro passo para a transferência de Ronaldo: sua desvinculação oficial da Inter. Ronaldo chegou nesta terça-feira a Milão às 13h40 locais (10h40 de Brasília). Ainda na pista do aeroporto de Malpensa, protegido por seguranças e acompanhado por seu assessor de Imprensa, Rodrigo Paiva, pegou um carro para sair do local. Evitou, assim, contato com os insatisfeitos torcedores da Inter. Dezenas deles levaram ao aeroporto uma faixa onde estava escrito "Ronaldo, ingrato??, em letras verdes num pano amarelo. Após a reunião com Ghelfi, Ronaldo falou com os jornalistas italianos. "Há alguns motivos que me fazem pensar em um futuro longe da Inter, mas não é o dinheiro?, afirmou ele, sem revelar quais são. "Estou triste com a reação dos torcedores, compreendo a desilusão deles, mas prefiro viver esta situação do que tornar público os meus motivos. Quem me conhece sabe que o dinheiro não é a coisa mais importante para mim.? Ao garantir que seu problema não é dinheiro, Ronaldo procurou também desvincular seu desejo de sair dos US$ 7 milhões por temporada que o Real Madrid lhe teria oferecido - mesmo salário pago ao francês Zidane e ao português Figo. Na Inter, ele recebia US$ 4,4 milhões/ano, mas recentemente havia concordado com uma redução de 5% nos vencimentos. Nos últimos dias, o atacante brasileiro foi fortemente criticado na Itália e até mesmo na Espanha, por vincularem sua vontade de trocar de clube com o aspecto financeiro. Ronaldo chegou a ser chamado de "mercenário?? e "traidor?? por alguns jornais europeus. O artilheiro da Copa do Mundo de 2002 disse que na conversa com Ghelfi colocou seu ponto de vista, "que é igual ao que meu empresário Alexandre Martins comunicou ao presidente há três meses?, e enfatizou que sempre respeitará a Inter. "O clube sempre esteve ao meu lado nos momentos difíceis.? Nesta terça-feira, não se falou de um encontro do jogador com Moratti, que continua garantindo que a Inter não pensa em se desfazer de Ronaldo. "Se o presidente for um bom negociador e o convencer de que deve ficar, tudo bem?, disse Rodrigo Paiva. Essa possibilidade é, no entanto, remota. Após o encontro com o dirigente da Inter, Ronaldo foi jantar na Picanha, uma churrascaria brasileira em Milão. Lá, encontrou o goleiro Dida, o lateral Serginho e o zagueiro Roque Júnior, que jogam no Milan. Ao chegar, o Fenômeno foi aplaudido pelas pessoas que estavam na churrascaria.

Agencia Estado,

06 Agosto 2002 | 20h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.