Ronaldo fica, mas ainda quer sair

A relação entre Ronaldo e Internazionale de Milão tem todos os ingredientes de uma trama de mistério, suspense e contradições. Hoje, o mundo todo chegou a anunciar que Ronaldo voltara atrás e aceitara jogar na Inter até o fim de seu contrato, em 2006. Mas a informação foi desmentida à noite, por seu assessor de Imprensa, Rodrigo Paiva. "O Ronaldo vai ficar na Inter até que haja uma solução para seu problema", afirmou. A confusão começou com declarações divulgadas durante o dia por várias agências internacionais e atribuídas a um dos procuradores do craque, Alexandre Martins, que também está em Milão. "O Ronaldo é jogador da Inter e continuará sendo nos 365 dias dos próximos quatro anos." Por telefone, para a Agência Estado, Paiva assegurou que as declarações não eram verdadeiras. Ele estava num táxi, ao lado de Martins, a caminho de um restaurante em Milão. "O site que tem de ser levado em consideração é o site do Ronaldo (www.r9ronaldo.com)", prosseguiu o assessor. Ele até ressaltou o porquê de a notícia de véspera, em que o craque comunica que não quer mais jogar na Inter, não ter sido retirada da página da Internet. "O que significa isso? Significa que a situação é a mesma." Hoje, Ronaldo treinou no clube e manteve contato por telefone com o presidente da Inter, Massimo Moratti. De acordo com Paiva, a conversa foi rápida e objetiva. "Ronaldo disse ao dirigente o mesmo que falara um dia antes ao vice-presidente da Inter (Rinaldo Ghelfi), que não quer continuar no clube", contou Paiva. Ao ser indagado sobre um eventual pedido de liberação de Ronaldo a Moratti, o assessor deixou claro que a posição do jogador já é mais do que conhecida pela Inter. "Ele fez o pedido ao vice; não precisa ficar repetindo isso toda hora." Segundo o assessor, o jogador aguarda uma definição da Inter até o fim de semana. Depois, Paiva foi mais incisivo, ao comentar a polêmica envolvendo jogador e clube. "A Inter precisa entender que o Ronaldo está falando sério." O artilheiro da Copa do Mundo ficou desapontado com as manifestações de torcedores no Aeroporto de Malpensa, quando chegou em Milão, na terça-feira. Mas não quis fazer nenhum comentário público sobre o assunto. A desistência do Real Madrid na briga pela contratação de Ronaldo não parece ter preocupado o procurador e o assessor do jogador. "Eles desistiram do Zidane; depois o contrataram; isso é assim mesmo", comentou Paiva. A possibilidade de acordo com a Inter, diante do impasse, é cada vez menos provável. Mas enquanto não resolver a situação, Ronaldo ficará treinando com a equipe. Paiva até admite que ele possa voltar a jogar pela Inter. "Se não caminhar para lado nenhum, vai fazer o quê?" Os assessores de Ronaldo estão convictos de que a Inter está criando situação de constrangimento para o craque. O principal motivo da resistência de Ronaldo em permanecer no clube é a presença do técnico argentino Héctor Cúper no comando do time - seu contrato foi renovado recentemente.

Agencia Estado,

07 Agosto 2002 | 19h56

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.