Roth tenta unir elenco e muda time

Celso Roth costuma manter longas reuniões com o grupo de jogadores, mas hoje a conversa durou uma hora e 20 minutos. Assim, o treino das 16 horas só começou às 17h20, quando os atletas foram saindo do vestiário. Enquanto os problemas do time eram discutidos, dirigentes santistas se reuniram com Bernardo, procurador do centroavante Oséas, iniciando o processo de desligamento do atacante. Oséas não apareceu hoje no CT Rei Pelé, já que sua situação estava indefinida no clube. A polêmica sobre a saída de Oséas começou no início da noite de quinta-feira, logo depois que Zito passou a informação aos jornalistas de que Bernardo havia telefonado para o gerente de futebol, Ilton José da Costa, e proposto a rescisão contratual de Oséas. O procurador desmentiu essa intenção e que iria se reunir na manhã de hoje com os santistas. Esse encontro não aconteceu pela manhã e Ilton José da Costa não se surpreendeu. "Por volta das 19 horas de quinta-feira, o Bernardo voltou a me ligar e disse que iria desmentir a informação da rescisão de contrato". O gerente de futebol confirmou a conversa da véspera e, à tarde, confirmou que o procurador de Oséas estava reunido com dirigentes, tratando de uma solução para o caso. Os santistas estão insatisfeitos com o futebol apresentado pelo atacante, que recebe um dos maiores salários do clube, na faixa de R$ 80 mil mensais e uma rescisão interessa aos dirigentes, que já vinham ensaiando essa medida desde a semana passada. Hoje, as duas partes tentavam chegar a um acordo. Esperança - O empate entre Botafogo e Vasco foi um bom resultado para o Santos. Nas contas de Ilton José da Costa, se o time vencer todas as partidas que tem pela frente terminará essa primeira fase classificada na quarta vaga com 27 pontos. "Dependendo de uma combinação de resultados, a pontuação necessária para a vaga poderá ser menor", disse ele. Com ou sem chances de classificação, os jogadores do Santos estão conscientes de que precisam vencer o Guarani, domingo, na Vila Belmiro. "Precisamos de uma vitória para acabar com essa má fase", disse o meia Robert, lembrando que há chances matemáticas para a obtenção da vaga. O primeiro passo para uma vitória sobre o Guarani foi dado ontem, na reunião do técnico com os jogadores. Ele vem sistematicamente culpando os atletas pelas falhas que têm levado à seqüência de seis partidas sem vitórias e Robert e Léo discordaram publicamente do treinador. Por conta da má campanha e na tentativa de unir o grupo, a reunião de hoje foi a mais demorada dos últimos anos. Depois da conversa, Celso Roth dividiu os times para um rachão. Ele não definiu o time que enfrentará o Guarani domingo, mas pode voltar a adotar o esquema 3-5-2, para garantir melhor marcação. Preto, Odvan e André Luís devem ser os zagueiros e Diego pode ir para o banco. Sem Oséas, William será o centroavante.

Agencia Estado,

22 Março 2002 | 19h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.