Toru Hanai/Reuters
Toru Hanai/Reuters

Rueda: 'Borja precisa de acompanhamento e afetividade para render'

Técnico colombiano campeão da Libertadores conta ter investido em trabalho individualizado para desenvolver o potencial de Borja

Entrevista com

Reinaldo Rueda

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

12 Agosto 2017 | 17h00

Um dos grandes responsáveis pela carreira de Borja ter deslanchado é o treinador Reinaldo Rueda. O colombiano de 60 anos tirou o atacante do pequeno Cortuluá e o levou para o Atlético Nacional, onde estiveram juntos na conquista da Copa Libertadores do ano passado. Em entrevista exclusiva ao Estado, o técnico relembrou o trabalho realizado com o jogador para que se adaptasse à nova equipe.

Borja foi muito importante para o seu time no ano passado. O que o Palmeiras precisa fazer para resgatar o bom futebol dele?

Eu penso que ele tomou uma decisão muito difícil ao ir para o Palmeiras. O Borja precisa de bastante acompanhamento. Além dos treinos, ele precisa se sentir muito cercado na parte afetiva. Com continuidade e bom acompanhamento, com certeza ele vai desenvolver a sua capacidade como grande goleador.

Como foi feito esse trabalho de acompanhamento no Atlético Nacional?

Esse trabalho foi determinante para o sucesso. A forma como o recebemos no clube, para fazê-lo se sentir importante, foi essencial para o êxito. Ele respondeu ao estímulo tanto no treinamento, como no coaching individual que fizemos com ele exclusivamente para potencializar a sua capacidade como atacante. Ele tinha saído de um time pequeno, o Cortuluá, e chegar a uma equipe como o Atlético Nacional foi um salto muito grande, uma diferença enorme. Então, foi preciso um acolhimento para que não se sentisse assustado no novo clube.

O Guerra veio junto com o Borja do futebol colombiano, mas parece já estar mais adaptado ao Palmeiras. Como explica essa diferença entre os dois?

Guerra é um jogador mais experiente do que Borja, com mais vivência internacional. Fora isso, Guerra tem uma inteligência fora do comum como jogador de futebol. Com um toque ele é capaz de mudar a velocidade de uma jogada. Se derem chance a Borja, ele pode evoluir igual.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.