David Mdzinarishvili / Reuters
David Mdzinarishvili / Reuters

Rússia admite atrasos em estádios, mas nega preocupação para a Copa do Mundo

Obras para bases de seleções também estão atrasadas

Estadão Conteúdo

31 Outubro 2017 | 11h38

O vice-primeiro-ministro da Rússia, Vitaly Mutko, admitiu nesta terça-feira que há atrasos nas obras de alguns estádios que vão receber jogos da Copa do Mundo de 2018. Mas o político, que também lidera o Comitê Organizador Local do Mundial, garantiu que não há motivos para preocupação.

+ Grupo pró-Estado Islâmico usa imagem de Messi e Neymar para ameaçar Copa

+ Copa de 2018 pode ter premiação recorde e Fifa define divisão de valores na sexta

"Há alguns atrasos em certas obras, mas a situação geral está sob controle e não estamos muito preocupados com isso", declarou Mutko, nesta terça, em entrevista à agência R-Sport. A Copa de 2018 contará com 12 estádios em 11 cidades

Segundo o dirigente, o caso mais grave é o do Samara Stadium, na cidade de Samara. As fundações do gramado ainda não foram finalizadas e a grama ainda não foi instalada. De acordo com Mutko, "questões complicadas de estrutura e engenharia" dificultaram o trabalho.

Ele indicou também que obras nas futuras bases das seleções da Copa também sofrem com atraso. O chefe do Comitê Organizador Local afirmou que cobrado rapidez das lideranças regionais para a finalização das estruturas. Segundo afirmou, dirigentes das seleções ficaram "preocupados" quando fizeram visitas aos locais nos últimos meses.

Faltam oito meses para a Copa do Mundo da Rússia. O grande evento será realizado entre os dias 14 de junho e 15 de julho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.