Salvação em oito atos

São Paulo precisa ganhar os oito jogos que ainda fará dentro do Morumbi

Robson Morelli, O Estado de S.Paulo

11 Setembro 2017 | 07h13

O destino do São Paulo está no Morumbi, em oito atos neste Campeonato Brasileiro. É contagem regressiva. O time precisa se apresentar bem diante da sua torcida, sem erros ou sobressaltos. A tabela dá ao clube, até o fim da competição, mais oito jogos em casa, diante de rivais duros, alguns iguais e outros um tanto mais frágeis. Com 24 pontos em 23 partidas – faltando 15 para o fim do Nacional –, o São Paulo não tem mais margens para erros, desculpas ou explicações mirabolantes para justificar tropeços ou resultados não esperados, como foi, para o técnico Dorival Junior e alguns jogadores, além de membros da diretoria, o empate com a Ponte Preta após construir vantagem de 2 a 0 aos 11 do segundo tempo.

A 19.ª posição assusta, assim como o rendimento da equipe em alguns setores, para não dizer todos, como a defesa. O São Paulo é uma peneira. Sofreu 35 gols até a 23.ª jornada, um a menos do que o lanterna Atlético-GO, que encerra hoje a rodada diante do Bahia. Há bem poucos em situação semelhante.

O São Paulo tem de ganhar as partidas que fará no Morumbi. Simples assim. E agora, independentemente do tamanho da bandeira do rival. Por exemplo, depois do Vitória fora, o time de Dorival recebe o Corinthians em torcida única. Tem de ser “faca nos dentes” contra o líder. Na sequência, também no Cícero Pompeu de Toledo, terá de encarar o Sport. Não há mais esquema tático, bobeadas imbecis, vestiário rachado, atletas com dorzinhas. 

Faço questão de apontar as outras partidas que o São Paulo mandará na sua casa até o fim. E “mandar”, neste caso, não significa menos do que se impor desde o minuto inicial, jogar sem medo, com valentia e garra. Se puder, com alguma técnica. Se não puder, paciência. É hora de o Tricolor voltar a ser grande e, acima de tudo, somar pontos. Há quem diga que 45 pontos salva qualquer time do rebaixamento. São 21, portanto, que faltam ao São Paulo. Penso que neste ano, 43 será o número mágico por causa da vantagem gigantesca do Corinthians, que roubou muitos pontos dos concorrentes debaixo. 

A reação começa dentro de sua casa. Pela 28.ª rodada, o Tricolor enfrentará o Atlético-PR, depois Flamengo (30.ª), Santos (31.ª), Chapecoense (33.ª), Botafogo (36.ª) e Bahia (38.ª). Se tamanha imposição acontecer dentro do Morumbi, o time somará 24 pontos, mais do que suficiente para escapar. Este é o mundo perfeito para o torcedor são-paulino, aquele que tem dado mostra de confiança, respeito ao elenco e fé no trabalho do clube até hoje.

No mundo real do Campeonato Brasileiro, da fase do São Paulo na temporada, há muitas pedras no caminho. A equipe tem 11 derrotas. Está há 11 rodadas na zona do rebaixamento. É difícil, portanto, acreditar que vai parar de tropeçar. O retrospecto também mostra que o Morumbi não tem sido um palco vencedor para o time na temporada.

 

Santos 2 x 0 Corinthians

Resultado normal na Vila Belmiro. O time da casa foi melhor a maior parte do jogo. Fez por merecer. O Corinthians faz agora campanha mais condizente ao seu elenco, campanha que todos esperavam desde o início do ano. O que estava fora do roteiro era a sequência de vitórias do time de Carille. Agora, tudo está dentro dos conformes. Ocorre que o líder Corinthians ainda tem sete pontos na frente do segundo colocado (Grêmio) e, como disse o treinador corintiano, é uma vantagem muito boa.

COPA DO BRASIL

A CBF engrossa ao distanciar a primeira partida da segunda na decisão da Copa do Brasil. Flamengo e Cruzeiro empataram por 1 a 1 no duelo do Maracanã. Mas terão de esperar 20 dias, do dia 7 ao dia 27, para eles se encontrarem no Mineirão. Quer banho de água fria maior do que este para os rivais? Acorda CBF!! Assim não dá!!!

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.