Santos e Botafogo: 3 a 3 na Vila

Em uma partida emocionante, Santos e Botafogo empataram por 3 a 3 na tarde deste domingo na Vila Belmiro. O jogo, cercado de muita rivalidade desde a final do Campeonato Brasileiro de 95, teve momentos de muita emoção, especialmente nos minutos finais. O ex-santista Dodô e o meia Robert - ambos com dois gols - foram alguns dos destaques do jogo. Taílson fez o terceiro gol do time carioca, e o garoto Diego, aos 45 minutos do segundo tempo, empatou a partida. No final das contas, o empate acabou tendo um sabor de vitória para o Santos, que viveu uma semana bastante conturbada. Se perdesse, certamente enfrentaria uma nova crise. A derrota para o fraco Americano, no final da semana passada, desencadeou um clima de intranqüilidade na Vila Belmiro, que piorou com a derrota por 1 a 0 para o Inter, na quarta-feira, em Porto Alegre, quando o Santos acabou eliminado na Copa do Brasil. Não bastasse isso, o desabafo do zagueiro Odvan, sobre o atraso de salários, desmentido, depois, pelo próprio jogador, colocou mais lenha na fogueira, culminando com o pedido de demissão, na sexta-feira, do diretor-executivo, João Paulo Medina. BOMBA - Ao contrário do que muita gente esperava, o Botafogo entrou tímido em campo, tocando a bola sem objetividade, além de cometer muitas faltas, obrigando o juiz Luciano Augusto de Almeida a paralisar o jogo a todo o instante, sem que o Santos esboçasse qualquer reação para furar o esquema "anti-jogo" do adversário. Mas aos 16 minutos, solto do meio-de-campo, o lateral Léo invadiu a grande área, cruzou para o meia Robert que, de cabeça, tocou no canto esquerdo do goleiro Kleber. Enquanto o Santos ainda comemorava a abertura do placar, sem nenhuma marcação, Alexandre lançou para Dodô, que bateu rasteiro no lado direito da trave, sem defesa para Fábio Costa. Aos 37 minutos do primeiro tempo, um estrondo chamou a atenção na Vila Belmiro. Uma bomba foi lançada na direção da torcida do Botafogo, que a devolveu para a arquibancada do Santos, onde explodiu. Não houve feridos, mas o episódio chamou a atenção para a segurança do estádio Urbano Caldeira. As mudanças efetuadas pelo técnico Celso Roth, no intervalo, com as substituições, de Elano e Oséas, por Diego e William, proporcionaram maior ritmo à equipe, embora numa vacilada da defesa, Taílson aumentasse o placar do Botafogo, emitindo um torpedo para o gol de Fábio Costa. Quando o empate já era considerado um bom resultado para o time da casa, Dodô marcou o terceiro, aos 37 minutos, tornando-se o artilheiro isolado do Torneio Rio-São Paulo, com 12 gols. Mas o garoto Diego, aos 45 minutos da partida, igualou o placar, quando a torcida santista já demonstrava impaciência, lançando objetos para a tribuna de honra do Santos, onde estava sentado o presidente Marcelo Teixeira. Com o empate deste domingo, o Botafogo chega a 16 pontosm, mas fica fora da zona de classificação. Agora é o quinto colocado. Com 14 pontos, o Santos, é apenas o nono colocado.

Agencia Estado,

10 Março 2002 | 17h56

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.