Santos faz aposta na juventude

Para tentar a quebra do longo jejum de títulos importantes, o Santos reforçou o time com estrelas de várias grandezas, montando times milionários que acabaram não produzindo o resultado esperado. Para o Campeonato Brasileiro deste ano, porém, a nova política do clube impede loucuras financeiras e a opção foi confiar nas jovens revelações do clube. A primeira grande mudança está sendo sentida na folha de pagamentos: o time que já teve Edmundo ganhando R$ 400 mil por mês, Rincón outros R$ 300 mil, está gastando cerca de R$ 350 mil mensais para pagar todos os jogadores de seu time principal. O elenco tem a confiança do técnico Leão e terá de demonstrar, em campo, que pode resolver o principal problema do clube: vencer o campeonato. Com um time mais enxuto em termos financeiros, os santistas abriram mão de contratar jogadores experientes para dar equilíbrio ao elenco, formado basicamente por jovens atletas. É que durante o longo período de treinamento a que o time foi submetido por não ter competições oficiais a disputar, o técnico Leão foi gostando do que via em campo e resolveu fazer a experiência, armando o Santos com revelações da casa. Elano e Diego já vinham atuando desde o Rio-São Paulo e agora chegou a vez do atacante Robinho. Paulo Almeida assumiu a condição de capitão, que já foi de Freddy Rincón e o jovem Júlio César foi contratado para substituir o goleiro titular Fábio Costa, em recuperação de cirurgia e que não atuará neste Brasileiro. Léo é o jogador mais experiente do time. Leão está satisfeito com o desempenho de seu jovem time. Mesmo em relação ao goleiro Júlio Sérgio, de 21 anos, está tranqüilo. É uma posição que requer um jogador experiente, mas Leão lembra seu passado como atleta para confiar na escolha. "Não tenho direito, como treinador, de investir em pessoas mais experientes e veteranas, tirando a oportunidade de eles se tornarem experientes prematuramente." E continuou. "Se um treinador confiou que eu entrasse com 18 anos no gol do Palmeiras e com 19 na seleção brasileira, tenho que confiar nos jovens também." Com sua experiência, Leão sabe que será preciso ser tolerante. "Eles têm uma responsabilidade grande, mas também têm o direito de errar." Por isso, acha que é mais fácil um treinador "perdoar um jovem do que um veterano". E cotucou os jornalistas. "Isso serve para vocês também." Da parte dos jogadores, há um compromisso de corresponder à expectativa do treinador. O atacante Robinho, 18 anos, diz que "o grupo está todo preparado, pronto para mostrar qualidade neste campeonato". Ele começou jogando futebol de salão no Santos e no ano passado passou do time de juniores para o profissional. "Esse era o meu primeiro objetivo e agora estou conseguindo o segundo, que é ser titular." E Robinho deixou no banco de reservas Fabiano Souza, um dos quatro jogadores contratados para a temporada. "Falta um pouco mais de entrosamento com o grupo", disse Fabiano Souza, que luta para ser o titular. "Os atletas mais jovens subiram juntos jogam há tempo e se conhecem muito bem: tocam de primeira, pois já sabem onde o companheiro vai estar posicionado." O primeiro teste desse novo time será sábado, contra o Botafogo. A partir daí, o comportamento da equipe será acompanhado de perto e, caso não atinja os resultados previstos, alguns jogadores mais experientes podem ser chamados. Isso, porém, só em último caso. O renovado Santos tem o seguinte time-base: Júlio Sérgio; Maurinho, Preto, André Luís e Léo; Paulo Almeida, Renato, Elano e Diego; Robinho e Alberto.

Agencia Estado,

09 Agosto 2002 | 10h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.