Santos faz ?jogo do ano? contra Inter

O Santos encara o jogo desta quarta-feira contra o Internacional, às 21h45, em Porto Alegre, como mais importante na presente temporada. Precisa de uma vitória ou um empate por quatro gols para ficar com vaga para a próxima fase da Copa do Brasil e manter chances de disputar outros torneios importantes ainda em 2002. Um empate por três gols leva a decisão aos pênaltis e Celso Roth preparou o time para todas as possibilidades, sabendo que a tarefa de vencer o adversário em casa é das mais difíceis. "Esperamos que o Santos mantenha o mesmo equilíbrio de antes do jogo contra o Americano", disse ele, preocupado com a queda de rendimento na inesperada derrota para o time carioca sábado passado, que acabou perturbando os jogadores. "O time vinha numa seqüência de jogos com adrenalina muito forte, contra adversários equilibrados e houve o relaxamento contra uma equipe de histórico mais pobre". E ocorreu o que ele não queria: "essa derrota aconteceu no momento errado, quando esperávamos por um bom resultado para somar os pontos para termos tranqüilidade para buscar a vaga no Rio-São Paulo". Esse mau resultado terá efeitos no jogo de quarta-feira, desta vez pela Copa do Brasil. Perturbou os jogadores, que tiveram nesta terça-feira pela manhã a desagradável presença de torcedores dentro do CT Rei Pelé. Desta vez, não ocorreu invasão do gramado e cerca de 20 pessoas foram recebidas pelo executivo do futebol, João Paulo Medina, atendendo recomendação da presidência do clube. Medina conversou com eles, mas não os liberou para um contato com os jogadores. Durante a entrevista, o dirigente explicou o que havia acontecido, e informou que não havia permitido a aproximação com os atletas já que isso "ultrapassava os limites". Só que um dirigente acabou permitindo a presença de dois torcedores próximo ao alambrado, que separa o campo da área do vestiário. Os jogadores estavam saindo em seus carros e os torcedores não tiveram oportunidade de conversar com eles. Nova escalação - Para o jogo de quarta-feira contra o Inter, Celso Roth vai mudar o time, que jogará no esquema 4-4-2. Preto deixa a vaga na zaga para Odvan jogar ao lado de Cléber e Renato irá reforçar a marcação no meio-de-campo. Paulo Almeida dará cobertura à zaga e Renato terá liberdade para auxiliar o ataque, voltando sempre para fazer a marcação. O esquema deixa Robert mais livre para a armação de jogadas com os atacantes William e Oséas. "O Inter vai ficar nos esperando, para aproveitar o momento certo e definir a partida", disse Robert. Por conta disso, ele acha que o Santos precisa tomar todo o cuidado para não cair na armadilha. O meia já atuou no Rio Grande do Sul e conhece o esquema do adversário e o comportamento dos torcedores. "Se virarmos o primeiro tempo com empate, chegaremos a um bom resultado", previu.

Agencia Estado,

05 Março 2002 | 17h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.