Ivan Storti| Divulgação
Ivan Storti| Divulgação

Santos obtém efeito suspensivo e STJD reduz punição do presidente

Modesto Roma Jr. teve suspensa a multa de R$ 100 mil e a suspensão de 120 dias foi reduzida para apenas 15

Estadão Conteúdo

11 Agosto 2017 | 19h18

Dois dias após sofrer dura punição no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), o presidente do Santos, Modesto Roma Júnior, obteve efeito suspensivo e viu sua pena ser amenizada por decisão do vice-presidente do tribunal, o auditor Paulo César Salomão Filho. O presidente santista teve suspensa a multa de R$ 100 mil e a suspensão de 120 dias foi reduzida para apenas 15.

"Informo que através de despacho, foi deferido parcialmente o pedido requerido pelo recorrente, ficando suspensa a multa aplicada, devendo o Presidente do Santos F.C. Modesto Roma Junior cumprir 15 (quinze) dias da suspensão em razão da penalidade imposta, restando suspenso o cumprimento do restante da penalidade aplicada pela Terceira Comissão Disciplinar até o julgamento do recurso", afirmou o auditor.

Modesto Roma Júnior havia sido punido devido ao ofício encaminhado pelo Santos à CBF pedindo anulação da partida contra o Flamengo, válido pelas quartas de final da Copa do Brasil. O time paulista alegava interferência externa em lance de marcação de pênalti. Foram 3 votos a 2 pela punição.

No julgamento de quarta, a defesa do Santos recuou e admitiu que não houve interferência externa. Ao mesmo tempo, pediu absolvição de Modesto pelo fato de ele não ter assinado o documento pedindo anulação do jogo e por estar de licença da presidência à época. Os auditores, porém, levaram em conta uma entrevista do dirigente em que ele comentava a suposta interferência.

Nesta sexta-feira, o departamento jurídico do Santos entrou com o pedido de efeito suspensivo para amenizar a pena aplicada na quarta. E o vice-presidente do STJD deferiu o pedido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.