Santos tem dia de calma aparente

O técnico Celso Roth, do Santos, aproveitou a folga nesta segunda-feira para ir a Porto Alegre e o presidente Marcelo Teixeira esteve à tarde na Capital. Isso proporcionou um clima de tranqülidade, escondendo as mudanças que devem começar a ocorrer a partir desta terça-feira, por conta da baixa produção nas últimas quatro partidas e também pela crescente agressividade dos torcedores. Os jogadores retomam os treinamentos nesta terça-feira pela manhã, já preparados para uma semana difícil, em que o treinador vai insistir na correção da deficiência na marcação para tentar a primeira vitória fora de casa, sábado, contra o Fluminense, no Maracanã. Mais uma vez o time deverá mudar. Celso Roth admite escalar Esquerdinha e Diego, que terminaram a partida de domingo contra o Botafogo e, se mantiver essa intenção, terá de mexer na defesa e, provavelmente no esquema 3-5-2. Resta também uma dúvida: Oséas continuará como titular? Nesta segunda-feira, ele era o atleta mais visado pela atuação apagada nas últimas partidas e a escassez de gols. Poderá, assim perder a condição de titular para William. "É difícil marcar os gols e, quando marcamos, estamos sofrendo outros na seqüência" reclamou Celso Roth, inconformado com os erros cometidos pelos experientes jogadores da defesa. "Vamos aproveitar a semana para conversar com os jogadores e corrigir esses problemas", disse o treinador. Mesmo com a situação ficando cada vez mais difícil e ocupando a nona colocação no Rio-São Paulo, Robert alertou para o fato de o torneio estar embolado. Apenas dois pontos separam os santistas do quarto colocado, o São Caetano. "Ninguém está garantido ainda e temos que buscar os pontos necessários para a classificação", disse o jogador. Para Robert, o fato de seu time não ter ganho ainda uma partida fora de casa nesta temporada dá ao jogo contra o Fluminense um sentido mais amplo. "Uma vitória terá ainda mais importância, pois elevará o moral do grupo". O jogador não sabe porque o time vem apresentando queda de produção. "Temos sofrido muitos gols, temos dado bobeira e precisamos acertar a marcação."

Agencia Estado,

11 Março 2002 | 18h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.