Nilton Fukuda|Estadão
Nilton Fukuda|Estadão

Santos teme altitude, mas vai ao ataque em La Paz para avançar na Libertadores

Confronto diante do The Strongest acontece nesta quarta-feira, às 19h30

O Estado de S.Paulo

17 Maio 2017 | 07h00

Um time ofensivo e preparado para enfrentar os efeitos da altitude de La Paz, município boliviano situado a 3.600 metros acima do nível do mar. Este é o perfil que o torcedor do Santos poderá esperar da equipe na partida desta quarta-feira, às 19h30 (horário de Brasília), diante do The Strongest, na penúltima rodada do Grupo 2 da Copa Libertadores. Pelo menos essa é a visão do técnico Dorival Júnior, apesar do fato de que um empate já garantirá o time santista, atual líder do Grupo 2, a classificação por antecipação à próxima fase da competição continental.

O Santos montou uma logística especial para poupar os jogadores dos efeitos da quantidade menor de oxigênio existente em localidades mais altas, fato que compromete o desempenho de inúmeros times em competições sul-americanas. Por isso, a delegação se hospedou em Santa Cruz de La Sierra, a 416 metros de altura somente, de onde sairá horas antes do jogo contra o The Strongest, em um voo fretado que deverá ter uma hora de duração.

Dorival Júnior, apesar de reconhecer os problemas por atuar nessas condições - respiração, coordenação motora dos atletas, maior velocidade da bola -, enfatiza que o grupo está confiante no seu desempenho e promete uma equipe buscando o resultado desde o início, mesmo com o tradicional "abafa" inicial imposto pelo time boliviano.

"Acho que um início é importante, fundamental, até para uma ambientação nossa (em relação à altitude). Mas, temos que ter consciência que o time deles é muito mais do que 15, 20 minutos (que deverão impor de pressão) e é natural que eles tenham esse hábito de tentar forçar, fazer do jogo o mais rápido possível para não dar oportunidade ao adversário de poder se estabilizar em campo. Mas temos de ter consciência e saber como jogar", analisou o técnico santista, nesta terça-feira.

O comandante, no entanto, evitou adiantar a escalação da equipe quando questionado pelos jornalistas. Mas é sabido que uma das poucas dúvidas ainda é quem irá atuar na lateral esquerda. Com a contusão de Zeca - que deverá retornar ao time em breve -, o técnico tem optado por improvisar Jean Mota ou Jonathan Copete na função. A tendência, porém, é a de que Jean Mota comece o jogo como titular.

O treinador também revelou que usou o treinamento realizado na tarde desta terça no CT do Blooming, clube de Santa Cruz de La Sierra, somente para descontrair os jogadores, desgastados também pelo excesso de viagens nos últimos dias - em uma semana, o Santos esteve em Belém (PA) e no Rio de Janeiro, antes de chegar à Bolívia.

A equipe boliviana, vice-líder do Grupo 2, com sete pontos, precisa da vitória para consolidar a classificação à próxima fase da Libertadores. Para tanto, o técnico César Farias aposta no veterano atacante Pablo Escobar, de 38 anos, conhecido pelos brasileiros após passagens por Santo André, Ipatinga, Mirassol, Ponte Preta e Botafogo de Ribeirão Preto.

Outra esperança do treinador do The Strongest para superar o Santos reside na boa fase do meio-campo Alejandro Chumacero, de 26 anos, também da seleção boliviana, que tem exibido boas atuações nesta edição da Libertadores.

FICHA TÉCNICA

THE STRONGEST X SANTOS

THE STRONGEST - Daniel Vaca; Diego Bejarano, Fernando Martelli, Marvin Bejarano e Augustín Jara; Raúl Castro, Diego Wayar, Wálter Veizaga e Alejandro Chumacero; Pablo Escobar e Matias Alonso. Técnico: César Farias.

SANTOS - Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Cleber e Jean Mota; Renato, Leandro Donizete e Lucas Lima; Vitor Bueno, Bruno Henrique e Ricardo Oliveira. Técnico: Dorival Júnior.

ÁRBITRO - Dario Herrera (ARG).

HORÁRIO - 19h30 horas.

LOCAL - Estádio Hernando Siles, em La Paz (BOL).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.