1. Usuário
Assine o Estadão
assine


São Paulo faz 3 a 2 no Corinthians, encerra jejum e atrapalha rival

Raphael Ramos - O Estado de S. Paulo

09 Março 2014 | 18h 01

Com a vitória, time são-paulino deixa a equipe corintiana mais longe das quartas de final

SÃO PAULO - A vitória por 3 a 2 sobre o Corinthians neste domingo, no Pacaembu, foi duplamente comemorada pelo São Paulo. Ao mesmo tempo que acabou com o jejum de vitórias em clássicos que já durava 12 partidas - desde os 3 a 1 sobre o Alvinegro, no mesmo Pacaembu, em dezembro de 2012 -, o Tricolor deixou o rival mais longe das quartas de final do Campeonato Paulista.

Já garantido na próxima fase do Estadual, o São Paulo vê o Corinthians continuar estacionado na terceira colocação do Grupo B, com 20 pontos. Com a derrota de ontem, o Alvinegro não depende mais de suas próprias forças para se classificar. Pior, agora está na mão do São Paulo. Isso porque o time do Morumbi recebe no próximo domingo o Ituano, vice-líder do Grupo B com 22 pontos e que briga diretamente com o Corinthians. Ou seja, se o Tricolor perder dificultará ainda mais a vida do rival.

O Corinthians até que começou bem o jogo e saiu na frente. Aos oito minutos, após boa trama entre Romarinho e Guilherme, a bola foi alçada à área e Rogério Ceni colocou para escanteio. Na cobrança, a bola sobrou para Luciano, que bateu cruzado e viu Antonio Carlos desviar e fazer gol contra.

O problema é que o gol acabou fazendo mal para o Corinthians. Com a vantagem no placar, o time se escondeu e deixou de jogar. O Alvinegro recuou demais a marcação - só Romarinho jogava à frente da linha da bola - e deixou o São Paulo tomar conta partida.

O Tricolor rondava a área de Cássio com perigo, mas, apesar do domínio, era um time previsível. Pabon jogava pela direita e Osvaldo, pela esquerda, enquanto Luis Fabiano ficava mais centralizado. Os homens de frente se movimentavam pouco e não davam opção de passe. Como a defesa do Corinthians congestionava o meio, faltava profundidade e penetração ao ataque são-paulino.

Quando percebeu que trocar passes não estava mais surtindo efeito, Ganso resolveu arriscar de fora da área e marcou um golaço. Aos 38 minutos, o craque das jogadas imprevisíveis surpreendeu Cássio com um belo chute no ângulo. O Corinthians sentiu o golpe. Irritado com a não marcação de um escanteio para a sua equipe, Mano Menezes exagerou na reclamação com o árbitro e acabou expulso ainda no primeiro tempo.

VITÓRIA MERECIDA

No intervalo, o treinador tirou Renato Augusto para a entrada de Guerrero para tentar aumentar o poder de fogo do Corinthians. No São Paulo, Muricy Ramalho substituiu Souza, machucado, por Wellington. As duas alterações melhoraram o desempenho das equipes, mas o Tricolor, a exemplo do primeiro tempo, continuou superior. E aos cinco minutos virou o placar. Douglas fez ótima jogada pela direita, passou por três marcadores e tocou para Pabon encontrar Luis Fabiano, que só teve o trabalho de empurrar para a rede.

O gol obrigou o Corinthians a sair mais para o jogo. Os jogadores passaram a procurar mais Guerrero e a escolha deu certo, pois foi com o peruano que o Alvinegro empatou aos 14. O atacante escapou pela esquerda e bateu cruzado para Antonio Carlos, de novo, fazer contra.

Como o empate não interessava a ninguém, o jogo ficou aberto. As duas equipes passaram a atacar mais, porém qualquer erro poderia ser fatal. E o Corinthians falhou aos 34, quando Uendel não marcou Rodrigo Caio e permitiu que o zagueiro, de cabeça, acabasse com o jejum de vitórias do São Paulo em clássicos.

FICHA TÉCNICA:

CORINTHIANS 2 X 3 SÃO PAULO

CORINTHIANS - Cássio; Fagner, Gil, Cleber e Uendel; Ralf, Bruno Henrique (Danilo), Guilherme e Renato Augusto (Guerrero); Romarinho (Emerson) e Luciano. Técnico - Mano Menezes.

SÃO PAULO - Rogério Ceni; Douglas, Rodrigo Caio, Antônio Carlos e Alvaro Pereira; Souza (Wellington), Maicon, Ganso e Pabon; Osvaldo (Ademilson) e Luis Fabiano. Técnico - Muricy Ramalho.

GOLS - Antônio Carlos, contra, aos 9, e Ganso, aos 38 minutos do primeiro tempo; Luis Fabiano, aos 5, Antônio Carlos, contra, aos 14, e Rodrigo Caio, aos 33 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Luis Flávio de Oliveira.

CARTÕES AMARELOS - Danilo, Cássio, Luciano, Wellington, Antônio Carlos e Maicon.

RENDA - Não disponível

PÚBLICO - 29.119 pagantes.

LOCAL - Estádio do Pacaembu, em São Paulo.