São Paulo tenta dar a volta por cima

Jogadores e integrantes da comissão técnica do São Paulo passaram os últimos dias se explicando. Tudo por causa da derrota por 4 a 2, quarta-feira, no clássico diante do Palmeiras. Todos dizem que se tratou de uma partida normal e que a decepção com o resultado não vai influenciar no rendimento do time. Sinceridade à parte, amanhã é a oportunidade de mostrar que não se trata de um simples discurso. No ABC, o time do técnico Nelsinho Baptista, atual vice-líder do Torneio Rio-São Paulo, com 23 pontos, vai enfrentar, às 16 horas, o São Caetano, sétimo colocado com 16. Mais do que os três pontos, a equipe do Morumbi vai jogar para provar que é suficientemente madura para manter o equilíbrio emocional e a auto-confiança, qualidades imprescindíveis em um grupo que tem pretensão de ser campeão. Depois do tropeço no clássico do meio da semana, dúvidas que, até então, eram consideradas tolas, passaram a incomodar alguns jogadores. Entre elas as que explicavam a seqüência de seis goleadas como resultado de jogos fáceis e dentro de casa. Nelsinho rechaça com veemência qualquer insinuação sobre a possibilidade de sua equipe estar abalada. "Isso (a derrota) é passado!", disse. "O time continua confiante, como estava antes." Nem mesmo a necessidade de escalar uma nova dupla de zagueiros, com Reginaldo Henrique e Jean nos lugares de Émerson e Wilson, expulsos diante dos palmeirenses, vai provocar mudanças no esquema de seu time. "Vamos continuar jogando da mesma forma", garantiu. "Aqueles que entrarem vão se adaptar ao padrão que vem sendo utilizado." ABC - A vitória é o único resultado que interessa ao vice-campeão brasileiro após duas inesperadas derrotas, diante do Botafogo, por 2 a 1, e para o Corinthians, por 1 a 0. Curiosamente, nos últimos dois jogos, o centroavante Brandão não marcou. Ele é o artilheiro do time na temporada, com oito gols em 10 partidas. Novo tropeço pode significar a eliminação do time. Desta forma, o jogo passou a ter caráter de "vida ou morte". O técnico Jair Picerni vem pedindo aos seus jogadores mais atenção e cuidado nas finalizações. O atacante Anaílson, que voltou a sentir o tornozelo direito, não joga. O zagueiro-volante Serginho foi liberado pelo departamento médico e volta no meio-campo, atuando como segundo volante ao lado de Marcos Senna. Na lateral-esquerda, já estava definido o retorno de Rubens Cardoso.

Agencia Estado,

23 Março 2002 | 15h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.