1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Copa 2014

Schweinsteiger e Mertesacker são poupados de treino

Mateus Silva Alves - enviado especial a Santa Cruz Cabrália - O Estado de S. Paulo

05 Julho 2014 | 15h 31

Mertesacker está gripado e Schweinsteiger fez apenas trabalhos físicos, mas os dois são nomes certos para o jogo desta terça

Menos de 24 horas depois de vencer a França por 1 a 0 e, assim, conseguir a classificação para a semifinal da Copa do Mundo pela quarta vez consecutiva - marca inédita na história do torneio -, a seleção da Alemanha já estava em campo para trabalhar. De volta ao Campo Bahia, centro de treinamento construído para a equipe na vila de Santo André, em Santa Cruz Cabrália, sul do estado, a equipe alemã fez uma atividade bastante leve, que durou cerca de uma hora.

A ordem de Joachim Löw agora é poupar energia, já que haverá pouco tempo de recuperação até o jogo contra o Brasil, na terça-feira, em Belo Horizonte.

O zagueiro Mertesacker, que está gripado, não treinou e o meio-campista Schweinsteiger fez apenas um rápido trabalho físico, mas os dois estarão à disposição do técnico da Alemanha na terça-feira.

Thomas Eisenhuth/EFE
O treinador alemão se mostra feliz com a oportunidade de enfrentar o Brasil nesta fase do Mundial

A situação do time agora é melhor do que era depois do jogo das oitavas de final, contra a Argélia. Naquela ocasião, os jogadores estavam muito desgastados por causa da duríssima batalha contra os argelinos e, para piorar, sete jogadores ficaram gripados - entre eles Mertesacker.

Agora Löw tem seus jogadores em melhor estado físico. Hummels, por exemplo, que não enfrentou a Argélia também por culpa de uma gripe, recuperou-se tão bem que foi o melhor em campo contra a França. A única baixa na seleção é o zagueiro Mustafi, que sofreu uma grave lesão muscular, mas ele era reserva.

Sem problemas físicos graves a atrapalhá-lo, o treinador agora quebra a cabeça para decidir quem escalará para enfrentar o Brasil. A pressão na Alemanha é grande para que ele mantenha o time que enfrentou a França, com Lahm na lateral direita, Khedira e Schweinsteiger no meio de campo, Thomas Müller pelo lado direito do ataque e Klose como centroavante. É uma formação quase idêntica à da Copa de 2010 e que parecia ter sido abandonada por Löw, mas que foi retomada por causa do mau desempenho contra a Argélia e tem boas chances de ser conservada para a partida do Mineirão.

Copa 2014

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo