1. Usuário
Assine o Estadão
assine


'Se não aprender leva 7 de novo', desabafa Daniel Alves

O Estado de S. Paulo

21 Agosto 2014 | 10h 56

Colocando-se como um dos culpados pela eliminação do Brasil na Copa, lateral critica duramente o comando da seleção no Mundial

O nome de Daniel Alves não foi lembrado por Dunga na convocação da seleção brasileira para os dois primeiros amistosos do treinador em sua segunda passagem pela equipe, mas o fato, segundo o próprio lateral do Barcelona, não o incomodou. Em entrevista no site do Barcelona, o jogador fez duras críticas ao trabalho realizado pela comissão técnica da seleção durante o Mundial, comandada por Felipão e Parreira.

"Depois de uma Copa do Mundo sempre se buscam os maus, os culpados, e eu me coloco na linha de frente. Eu sou assim, e às vezes isso é bom, às vezes é ruim... Mas não se pode competir com a imprensa", disse o jogador. "Primeiro, disseram que eu iria jogar, depois me tiraram do time... Não entendi. Mas tenho de estar preparado para aceitar o bom e o mau". Daniel ficou fora do time titular a partir das quartas de final, quando Felipão escalou Maicon em seu lugar.

 

"Nosso time não foi bem preparado e encontramos uma equipe que trabalhou bem, que nos deu uma lição do que se deve fazer, uma equipe que tem 6 anos na mesma base", completou, elogiando a equipe alemã, que goleou o Brasil por 7  a 1 e reduziu a pó o trabalho da equipe nacional.

Sobre a vexatória derrota, Daniel Alves foi ainda mais crítico. "Nós não tínhamos tanto trabalho assim, começamos com ideias diferentes. No fim, levamos 7, mas poderíamos ter levado 10. Se aprendermos a lição, poderemos competir nas próximas vezes; se não aprendermos, podemos levar 7 outra vez". No primeiro compromisso da seleção brasileira após o Mundial, os laterais escolhidos para a posição antes ocupada por Daniel Alves foram Maicon, da Roma, e Danilo, do Porto.