1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Seguranças e torcedores do Palmeiras brigam nas bilheterias do clube

O Estado de S.Paulo

13 Fevereiro 2014 | 13h 02

Palmeirenses se aglomeram na frente do estádio para comprar ingressos do jogo com o Corinthians domingo: clube se explica

SÃO PAULO - Seguranças do Palmeiras e torcedores se enfrentaram na manhã desta quinta-feira na frente do clube, mais precisamente nos guichês de venda de ingressos. Um segurança brigou com um sócio-torcedor que estava nas dependências do estádio em construção. Houve revolta dos torcedores que desde quarta-feira se aglomeram no local para a compra de ingressos do jogo Corinthians x Palmeiras, domingo, no Pacaembu.

Teve empurra-empurra, com trocas de socos e pontapés. O Palmeiras, de acordo com a Federação Paulista de Futebol, recebeu cota de 2 mil ingressos para o clássico. Esses torcedores queriam comprar as entradas. Não se sabe quem começou a briga. Um torcedor foi visto sangrando no rosto.

O jogo de domingo é considerado de alto risco por parte da segurança de São Paulo. Há duas semanas, torcedores uniformizados do Corinthians invadiram o CT do clube para prostestar contra o mau futebol dos jogadores. O caso foi parar na polícia. A PM preocupa-se com a segurança de palmeirenses e corintianos. O efetivo será reforçado no Pacaembu.

A confusão nas bilheterias do Palmeiras ocorreu minutos depois de representantes dos dois rivais anunciarem entrevista em conjunto de seus treinadores e presidentes no Pacaembu para promover a paz, jogo e no futebol. O Palmeiras ocupa posição mais confortável no Paulistão. O Corinthians precisa ganhar para espantar a crise. 

NOTA DO PALMEIRAS

A Sociedade Esportiva Palmeiras vem a público esclarecer o ocorrido nas dependências do clube na manhã desta quinta-feira:

1) Um associado e um segurança se desentenderam durante o processo de venda de ingressos. Houve troca de agressões e depredação do patrimônio da S.E.P por parte de outros presentes;

2) Não houve, em nenhum momento, invasão de propriedade. As pessoas que estavam dentro do clube eram sócias e portanto tinham permissão para acessar aquele local;

3) O Palmeiras não faz qualquer distinção entre seus associados, seja ele de torcida organizada ou não. Todos recebem tratamento igual, possuem idênticos direitos e deveres e são passíveis das mesmas punições;

4) Um processo de sindicância para apuração de fatos já foi instaurado e medidas rigorosas serão tomadas contra os culpados;

5) O funcionário envolvido na confusão foi preventivamente afastado e, se comprovada falha de conduta, será sumariamente desligado do quadro de colaboradores;

6) A S.E.P. repudia veementemente ações como as ocorridas nas dependências sociais da agremiação e não se contentará enquanto não houver a devida punição aos responsáveis por esse inadmissível episódio