Bruno Cantini/Atlético
Bruno Cantini/Atlético

Seis brasileiros vão às oitavas da Libertadores; Atlético-MG tem melhor campanha

Derrota do River Plate na última rodada favorece equipe mineira nos playoffs da competição continental

Estadão Conteúdo

26 Maio 2017 | 00h34

A fase de grupos da Copa Libertadores foi encerrada nesta quinta-feira com a definição dos últimos três grupos. Com Atlético Paranaense e Botafogo passando por duas fases eliminatórias, o Brasil contou com oito representantes nesta etapa da competição e seis deles conseguiram a classificação às oitavas de final: Atlético Mineiro, Grêmio, Palmeiras, Santos, Botafogo e Atlético Paranaense. Somente Flamengo e Chapecoense decepcionaram e ficaram em terceiro lugar em suas chaves, tendo como consolo uma vaga na segunda fase da Copa Sul-Americana.

Com exceção do Atlético Paranaense, que obteve a classificação de forma heroica na última rodada do Grupo 4 com uma vitória no Chile sobre a Universidad Católica, os outros cinco clubes brasileiros avançaram como líderes de suas chaves. Isso significa fazer como mandantes o duelo da volta das oitavas de final. O sorteio dos confrontos será realizado apenas em 14 de junho na sede da Conmebol, no Paraguai.

Neste sorteio, os primeiros colocados de cada grupo serão colocados em um pote e enfrentarão qualquer um dos times que ficaram em segundo lugar. Não há qualquer trava e, assim, é grande a chance do Atlético Paranaense ter um duelo brasileiro nas oitavas de final. Os outros líderes foram River Plate, Lanús e San Lorenzo, todos da Argentina.

Diferentemente dos anos anteriores, o regulamento da Libertadores em 2017 prevê um sorteio em todas as fases de mata-mata. Só para efeito de mando de campo é que uma tabela de classificação foi formada de 1 a 16 de acordo com as campanhas dos times na fase de grupos - o menor número decidirá a vaga em casa. Assim, o melhor desempenho desta etapa foi do Atlético Mineiro, que sempre jogará o segundo duelo em Belo Horizonte até uma eventual decisão.

Pela ordem, a classificação dos primeiros colocados foi: Atlético Mineiro, Lanús, Grêmio, River Plate, Palmeiras, Santos, Botafogo e San Lorenzo. Dos segundos colocados foi: Godoy Cruz (Argentina), Guaraní (Paraguai), Emelec (Equador), Barcelona (Equador), Atlético Paranaense, The Strongest (Bolívia), Jorge Wilstermann (Bolívia) e Nacional (Uruguai).

A terceira colocação em cada chave valeu uma vaga na segunda fase da Copa Sul-Americana, que já conta com quatro clubes brasileiros - Corinthians, Fluminense, Sport e Ponte Preta; Cruzeiro e São Paulo foram eliminados. Além de Flamengo e Chapecoense, os outros classificados são: Estudiantes (Argentina), Independiente Santa Fe (Colômbia), Independiente Medellín (Colômbia), Atlético Tucumán (Argentina), Libertad (Paraguai) e Deportes Iquique (Chile). Somam-se a eles Olimpia (Paraguai) e Junior Barranquilla (Colômbia), que foram os melhores eliminados na terceira fase eliminatória da Libertadores.

COLÔMBIA FORA

Após ser representada pelo atual campeão, o Atlético Nacional, pela primeira vez desde 2009 que a Colômbia não classifica um time para os mata-matas da Libertadores. O clube de Medellín decepcionou e ficou na lanterna do Grupo 1. Seu rival regional, o Independiente, não conseguiu superar River Plate e Emelec no Grupo 4, e o mesmo aconteceu com o Independiente Santa Fe no Grupo 2, atrás de Santos e The Strongest.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.