Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Esportes

Esportes » Seleção da Costa Rica espera ter sorte do 'Brasil de 94' no Recife

Futebol

Esportes

Copa 2014

Seleção da Costa Rica espera ter sorte do 'Brasil de 94' no Recife

Clima entre jogadores e comissão técnica é de muita animação

0

Daniel Batista,
Agência Estado

29 Junho 2014 | 12h45

A Costa Rica joga pela segunda vez no Recife nesta Copa do Mundo - a primeira foi na vitória por 1 a 0 sobre a Itália - e espera que os ares da cidade tragam coisas positivas para a equipe diante da Grécia, neste domingo, 29, pelas oitavas de final. Vale até apelar para superstição e acreditar que a cidade pernambucana possa dar ainda mais energia ao time, como aconteceu com a seleção brasileira antes da Copa de 1994.

Um ano antes, durante as Eliminatórias para a Copa, o Brasil vivia um momento turbulento até que fez um jogo contra a Bolívia no Recife. Pela primeira vez, os jogadores entraram de mãos dadas, gesto que marcou aquele time comandado por Carlos Alberto Parreira, e no final, a seleção goleou os bolivianos por 6 a 0 e pegou embalo para conquistar a taça nos Estados Unidos.

O meia Michael Barrantes espera que a história se repita, mas para o lado da Costa Rica. "Acredito (em sorte) e espero que a sorte que o Brasil teve naquele ano venha para o nosso lado no Recife. Fizemos as coisas bem na Copa, mostramos trabalho e força, mas é sempre bom buscar um pouco de sorte também", disse o jogador.

O clima entre jogadores e comissão técnica da Costa Rica é de muita animação, mas também pés no chão. Eles sabem que ter classificado a equipe para as oitavas já foi um feito para ser comemorado, ainda mais por terem caído no grupo da morte, com Itália, Inglaterra e Uruguai.

Mas caso avancem pela Grécia, será a primeira vez na história que a seleção caribenha chega às quartas de final do Mundial. "Estamos aqui fazendo história. Colocamos o nome da Costa Rica no alto e o que queremos é colocá-lo ainda mais alto", assegurou Barrantes.

Mais conteúdo sobre: