Saeed Khan/AFP
Saeed Khan/AFP

Seleção envia comissão técnica à Rússia para analisar rivais e instalações

Técnico Tite e colegas da CBF querem avançar na escolha por uma sede para usar de casa durante o Mundial de 2018

Marcio Dolzan, Rio, O Estado de S. Paulo

16 Junho 2017 | 23h00

Fora da Copa das Confederações pela primeira vez, a seleção brasileira enviará (parte de) sua comissão técnica à Rússia para avaliar possíveis adversários e conhecer algumas das instalações da Copa do Mundo do próximo ano. 

O analista de desempenho do Brasil, Fernando Lázaro, já está na Rússia. Ele viajou da Austrália, onde a seleção jogou amistosos com a Argentina e os donos da casa, direto para o país europeu e irá acompanhar a primeira fase da competição. O técnico Tite e o coordenador de seleções, Edu Gaspar, por sua vez, voltaram ao Brasil e viajam a Rússia somente para assistir às semifinais e a decisão da Copa das Confederações. "Temos demandas na CBF que nos impedem de ficar muito tempo longe", justificou Edu.

Tite nunca escondeu o desejo de disputar a competição – o Brasil ficou de fora pela primeira vez por não ter conquistado a Copa América de 2015 ou a última edição da Copa do Mundo. Mesmo que ressalte a importância dos amistosos, o treinador já disse em entrevistas que colocar o time nacional para disputar competições seria uma boa forma de preparar o time para a Copa.

Sem poder colocar o time em campo, o técnico vai aproveitar para estudar possíveis adversários no Mundial do ano que vem. Por ora, apenas a Rússia está garantida. Tite também aproveitará os dias no país da Copa para conhecer a estrutura que aguarda o Brasil no próximo ano, bem como avaliar de perto o provável local que servirá de base para a seleção.

Integrantes da comissão técnica da seleção brasileira já estiveram três vezes na Rússia para avaliar os hotéis e centros de treinamento. Por exigência da Fifa, o Brasil já indicou dois lugares que podem servir de "casa" para a seleção no próximo ano. Os locais, no entanto, são mantidos em sigilo porque a comissão técnica não está plenamente satisfeita com o que foi apresentado. Existe a esperança de que outros CTs sejam oferecidos a partir de setembro, quando terminam as Eliminatórias europeias. Nesse caso, locais reservados por equipes que forem eliminadas ficarão vagos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.