Seleção feminina de futebol sofre apagão e perde de virada para os Estados Unidos

"Esta é a hora de errarmos e aprendermos", diz a técnica Emily Lima

Estadão Conteúdo

31 Julho 2017 | 08h50

Um apagão transformou uma possível vitória de peso da seleção brasileira feminina de futebol em uma incrível derrota. Na noite de domingo, com três gols sofridos após os 35 minutos do segundo tempo, o Brasil perdeu por 4 a 3 para os Estados Unidos, em duelo disputado no Qualcomm Stadium, em San Diego.

Andressinha foi o principal destaque do Brasil, com dois gols marcados, enquanto Bruna anotou outro. Isso, porém, não foi suficiente para evitar a derrota diante da seleção líder do ranking mundial da Fifa.

Com o resultado, o Brasil fechou a segunda rodada do Torneio das Nações com um ponto, em terceiro lugar, à frente do Japão, que tem a mesma pontuação, pelo saldo de gols. As norte-americanas somaram seus três primeiros pontos, enquanto a Austrália está com seis, na liderança.

"Viemos para o torneio, claro, com objetivo de vencer, mas também de fazer observações. Precisamos definir a equipe para a Copa América do ano que vem. Não podemos chegar na competição com dúvida", afirmou a técnica Emily Lima.

As australianas serão as próximas adversárias do Brasil na competição, na rodada final do quadrangular. A partida está agendada para a próxima quinta-feira, às 20h15 (horário de Brasília), no StubHub Center, em Carson.

Diante dos Estados Unidos, a técnica Emily Lima escalou o Brasil com a seguinte formação: Bárbara; Letícia (Maria), Bruna Benites, Mônica e Jucinara (Tamires); Andressinha, Djenifer e Debinha; Gabi Nunes (Camila), Marta e Bia Zaneratto (Ludmila).

E a equipe teve um ótimo início de jogo, abrindo o placar logo no primeiro minuto, com Andressinha, que chutou forte de fora da área e viu a goleira Naeher não conseguir segurar a bola. Só que as norte-americanas empataram o duelo aos 17 minutos, com uma finalização de Mewis, que desviou na zagueira Bruna e entrou.

A seleção brasileira voltou a ficar na frente aos 18 minutos da etapa final, quando Bruna completou para as redes uma cobrança de escanteio de Marta. E o terceiro gol veio aos 34 minutos, em uma bela cobrança de falta de Andressinha.

Porém, os Estados Unidos reagiram imediatamente, com o gol marcado no minuto seguinte de Press. Depois, Rapione, aos 40, e Ertz, aos 44 minutos, concretizaram a virada da seleção norte-americana.

"É um jogo para abrir os olhos para o que a gente fez e o que a gente pode melhorar. A avaliação do jogo, que para nós da comissão técnica importa muito, é que elas conseguiram jogar, colocar a bola no chão e jogar de igual para igual com os Estados Unidos. É complicado você dizer que uma derrota foi boa, mas esta é a hora de errarmos e aprendermos para que em uma competição oficial isso não aconteça", comentou Emily.

Mais conteúdo sobre:
Futebol Feminino Seleção Brasileira

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.