1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Copa 2014

Seleção muda cardápio e reforça café matinal até sábado

Leandro Silveira - enviado especial a Teresópolis - Agência Estado

25 Junho 2014 | 17h 25

Por causa da próxima partida contra o Chile, às 13h, o médico do Brasil, José Luiz Runco, aconselhou a mudança no cardápio

Não foi só o horário de treinamentos da seleção brasileira que foi alterado com a marcação da partida contra o Chile para as 13 horas deste sábado, no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte. Nesta quarta-feira, o chefe do departamento médico da equipe, José Luiz Runco, explicou que a alimentação dos jogadores precisou ser mudada. Assim, até o dia do confronto, válido pelas oitavas de final da Copa do Mundo, o café da manhã será reforçado.

Isso significa que os jogadores precisarão se alimentar com carboidratos, como massas e purê de batata, às 10 horas da manhã, na primeira refeição do dia. Runco lembrou que os jogadores da seleção precisam "encher o tanque" para suportar o ritmo das partidas, ainda mais que os jogos eliminatórios da Copa podem ser definidos apenas na prorrogação.

"No período de competição, ainda mais quando você tem partidas que podem durar até 120 minutos, é preciso maior ingestão de carboidratos para o jogador ter mais resistência. Como se diz no popular, é encher o tanque para conseguir se desenvolver. A massa, assim, entra como algo muito importante, assim como a batata e algo de carne branca. Tudo preparado e conduzido pela nossa nutricionista", explicou Runco.

Wilton Junior/Estadão
Luiz Gustavo revelou que nunca disputou uma partida no horário das 13h

Assim, a rotina dos jogadores está alterada nesses dias que antecedem o duelo contra o Chile. O café da manhã, reforçado, acontece às 10 horas da manhã, antes do treinamento, que está sendo realizado a partir das 13 horas. Depois da atividade, eles almoçam. E o horário do jantar e do lanche foi atrasado em uma hora. Assim, essas refeições estão sendo realizadas às 20 horas e às 23 horas, respectivamente.

Runco também explicou que os efeitos do calor no horário da partida não preocupam tanto a comissão técnica e o departamento médico da seleção, por acreditarem que não estará tão quente em Belo Horizonte como se a partida fosse realizada em uma capital do Nordeste brasileiro. "Em Minas Gerais, a temperatura não é tão alta", lembrou.

O volante Luiz Gustavo revelou que nunca disputou uma partida às 13 horas, mas espera que isso não afete o seu desempenho. "Nunca joguei uma partida nesse horário como profissional. Mas eu costumo acordar cedo todos os dias, não é uma dificuldade. É um horário atípico para uma partida, mas vamos procurar nos adaptar para estar 100% em campo", disse o titular da seleção.

Copa 2014