Mindaugas Kulbis/AP
Mindaugas Kulbis/AP

Sem conseguir vaga na Copa, Escócia demite técnico Gordon Strachan

Federação escocesa não confirmou o nome do novo comandante, mas diz querer um profissional mais jovam

Estadao Conteudo

12 Outubro 2017 | 12h38

Sem conseguir se classificar para a Copa do Mundo da Rússia, em 2018, a Associação Escocesa de Futebol anunciou nesta quinta-feira a demissão do técnico Gordon Strachan. Seu assistente Mark McGhee também deixou o cargo.

A Escócia terminou na terceira colocação do Grupo F das Eliminatórias Europeias, com 18 pontos - a Inglaterra foi líder com 26 - e se garantiria na repescagem se vencesse a última partida contra a Eslovênia, fora de casa. Mas empatou por 2 a 2 e acabou eliminada da disputa.

O nome do novo treinador não foi anunciado, embora a associação tenha indicado que precisa de um "ímpeto fresco" para liderar a geração de jovens jogadores. "Agradeço Gordon pelo excelente serviço à frente da seleção. Sei o quão decepcionado ele está por não por colocar-nos na repescagem, mas chegar tão perto foi um tributo à crença que ele introduziu na equipe", assegurou Stewart Regan, chefe-executivo da associação.

Ex-jogador do Manchester United e ex-treinador de Celtic e Middlesbrough, entre outros, Strachan enalteceu os jogadores escoceses após a sua demissão. "Eles deveriam receber um crédito imenso pela resiliência depois de um início difícil. Gostaria de agradecer cada jogador que veio representar o seu país. Juntos dividimos alguns momentos mágicos, e essas memórias permanecerão comigo."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.