1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Copa 2014

Sem medo, México diz que sabe como passar pela seleção brasileira

PAULO FAVERO - Enviado especial a Fortaleza - O Estado de S. Paulo

16 Junho 2014 | 20h 36

Técnico Miguel Herrera, responsável direto pela classificação para a Copa, ressalta respeito ao Brasil, mas afirma que não existe medo

O México aprendeu com o tempo a enfrentar o Brasil e quer usar essa experiência para surpreender o time de Felipão na partida desta terça-feira, na Arena Castelão. Foram os rivais que acabaram com o sonho olímpico nos Jogos de Londres, há dois anos. "Nós respeitamos o Brasil, sabemos das qualidades da equipe, mas não temos medo. Essa palavra não existe em nosso dicionário e somos determinados na forma de jogar", avisou o lateral Layún.

No ano passado, na Copa das Confederações, o Brasil fez 2 a 0 no México. "Foi um ano que não estávamos bem", explicou o técnico Miguel Herrera, que assumiu a seleção em situação complicada nas Eliminatórias e conseguiu classificar o país para a Copa. "Contra os grandes, nós crescemos e temos atitude para mostrar que não somos tão inferiores assim", continuou o comandante.

Herrera é muito carismático e conta com grande apoio popular. Ele está emocionado com a grande quantidade de torcedores mexicanos em Fortaleza e espera que a sua equipe consiga retribuir o carinho dentro de campo. "A torcida está com a gente e temos de nos cercar dela. Não somos intocáveis", disse o treinador, que chegou a ficar bem próximo da massa no calçadão da avenida Beira-Mar, em Fortaleza.

Chema Moya/EFE
México vai em busca da segunda vitória na Copa do Mundo

Os jogadores do México sabem da força do Brasil, ainda mais jogando em casa. Mas entendem também que o Mundial está promovendo alguns resultados inesperados e isso enche a equipe ainda mais de esperança. "A Copa começou com muitas surpresas e favoritos no papel acabaram tropeçando. Isso nos dá confiança e esperança", comentou o defensor Salcido. "Na Copa das Confederações, quando perdemos, vínhamos mal nas Eliminatórias. Agora o time está diferente".

Herrera não vai mexer na equipe que venceu Camarões na primeira rodada. Ele gostou do desempenho dos jogadores e da postura do time, que atuou com uma linha de três defensores (sem a bola os alas recuavam e reforçavam a marcação). Na frente, Giovanni dos Santos e Peralta deram conta do recado.

Até por isso mesmo, o comandante garantiu que não fará qualquer marcação especial no atacante Neymar. "O Brasil não é só Neymar e por isso mesmo não vamos fazer uma marcação individual. Vamos enfrentar um adversário que tem uma equipe completa", lembrou, aproveitando para elogiar outro jogador rival. "Para mim, o Oscar foi o melhor em campo no último jogo. Teve uma atuação impressionante".

Copa 2014

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo