Evelson de Freitas/Estadão
Evelson de Freitas/Estadão

Sem renovar, Guerrero admite incômodo no Corinthians

Peruano iguala Tévez como maior artilheiro estrangeiro do clube

DANIEL BATISTA, O Estado de S. Paulo

02 Março 2015 | 08h25

O gol no final da partida contra o Mogi Mirim fez com que Paolo Guerrero entrasse de vez para a história do Corinthians. O peruano chegou ao gol de número 46 com a camisa alvinegra e se tornou o maior artilheiro estrangeiro do clube, igualando a marca de Carlitos Tévez. Apesar do feito, o atacante não anda muito feliz e deixou isso claro após a vitória por 3 a 0 neste domingo.

"Incomoda um pouco, dá intranquilidade, às vezes me desconcentro por alguma coisa e tento estar ligado e concentrado nos jogos, porque são partidas difíceis e preciso continuar ajudando o time", explicou o atacante.

O peruano tem contrato até o meio do ano e já negocia a renovação de contrato com o Corinthians há alguns meses. Entretanto, os altos valores da negociação fazem com que o acerto fique complicado e a cobiça no futebol do peruano é grande. Inclusive, do Hamburgo, clube que Guerrero defendia antes de acertar com o Corinthians.

" SRC="/CMS/ICONS/MM.PNG" STYLE="FLOAT: LEFT; MARGIN: 10PX 10PX 10PX 0PX;

"Não tem nada certo. Muitos times me procuraram antes de fechar a janela em janeiro, inclusive o Hamburgo. Mas eu falei pro meu empresário esperar um pouco. Eu esperei e estou esperando ainda", explicou, deixando claro que seu objetivo é permanecer no Corinthians.

Guerrero chegou ao Corinthians em 2012 e marcou a mesma quantidade de gols que Tévez fez em pouco mais de um ano de Corinthians. O atacante pode assumir a liderança isolada da marca no próximo domingo, quando enfrenta o São Paulo, no Morumbi. Na quarta-feira, o confronto é com o San Lorenzo, mas ele não poderá atuar, pois está suspenso.

Mais conteúdo sobre:
futebol Corinthians Guerrero

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.