Daniel Augusto Jr/Corinthians
Daniel Augusto Jr/Corinthians

Sem ter sido vazado em 17 jogos no ano, Cássio comemora boa fase no Corinthians

Após críticas em 2016, goleiro tem atuado em grande nível na atual temporada

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

30 Maio 2017 | 15h34

O goleiro Cássio é um dos destaques do Corinthians na temporada 2017. Dos 32 jogos disputados no ano, ele saiu sem ser levar gols em 17 deles. Os números revelam a boa fase do goleiro corintiano, ainda mais decisivo por liderar o sistema defensivo de um time que tem conquistado várias vitórias por 1 a 0.

"Ficamos de 32 jogos, 17 sem tomar gols, são números bem impressionantes e temos que saber lidar com isso. É ter humildade para continuar cada dia melhor, vencendo e aumentando os números. Nem sabia desse número, é uma pressão constante para nós", disse o goleiro em entrevista coletiva na manhã desta terça-feira no CT Joaquim Grava.

No Campeonato Brasileiro, o Corinthians sofreu apenas um gol, na estreia contra a Chapecoense, e depois não foi vazado nas partidas contra Vitória e Atlético Goianiense, ambas fora de casa e vencidas pelo placar mínimo. O próximo desafio será no sábado, às 19 horas, contra o Santos, no Itaquerão, e Cássio espera mais um resultado positivo.

"Desde o começo, sabíamos que se jogássemos poderíamos ganhar. Não estamos deslumbrados agora pelo que está acontecendo, pensamos jogo a jogo, passo a passo. Pode faltar na qualidade, mas não na entrega", disse o goleiro que já atuou em 283 partidas pelo clube até agora.

Para ele, as vitórias magras do Corinthians na temporada não diminuem os méritos do time. Em 2017, já foram nove triunfos por 1 a 0 em competições oficiais. O Corinthians é um dos líderes do Campeonato Brasileiro, ao lado de Chapecoense e Cruzeiro.

"Não é só no Corinthians, é em quase todos os times (que o importante é vencer, não o placar). Ganhar dá confiança. Lógico que queremos ganhar jogos de dois ou três... Mas, às vezes, não se consegue. O importante são os três pontos", afirmou o goleiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.