Daniel Augusto Jr./Estadão
Daniel Augusto Jr./Estadão

Sheik minimiza chance de perder eventual final da Libertadores

Contrato de Guerrero também termina antes da competição acabar

RAPHAEL RAMOS, O Estado de S. Paulo

18 Março 2015 | 17h29

Paolo Guerrero não é o único atacante titular do Corinthians que tem contrato somente até julho. O vínculo de Emerson também termina antes da final da Copa Libertadores. Emerson, no entanto, garante não estar preocupado com a possibilidade de ficar de fora da decisão do torneio caso o time alvinegro chegue à disputa do título e deixa o seu futuro em aberto.

"Essa questão de data, o Corinthians, se tiver interesse, certamente vai saber resolver com meus empresários", disse o atacante, nesta quarta-feira, no desembarque da delegação corintiana no aeroporto de Guarulhos, após a vitória por 2 a 1 sobre o Danubio, em Montevidéu, na terça-feira.

Emerson, 36 anos, tem um dos maiores salários do elenco. O atacante recebe cerca de R$ 500 mil por mês. O superintendente de futebol, Andrés Sanchez, já avisou que os novos contratos assinados pelo clube terão de ser feitos com valores menores. O Corinthians soma mais de R$ 300 milhões de dívidas e está com parte dos direitos de imagem e premiações do elenco atrasados.

O atacante voltou de empréstimo do Botafogo no início do ano e ainda não foi chamado pela diretoria para discutir a sua permanência no Parque São Jorge. "Não estou pensando nisso agora. Tenho mais quatro meses de contrato e estou desfrutando de cada momento do clube, de cada viagem e cada concentração, por incrível que pareça. Estou pensando apenas em fazer bons jogos e conquistar títulos pelo Corinthians", disse.

O Corinthians lidera o Grupo 2 da Libertadores, com nove pontos. A equipe tem 100% de aproveitamento na competição, mas para Emerson ainda é cedo para afirmar que o time já está garantido nas oitavas de final porque ainda restam três jogos a serem disputados.

"É importante ter otimismo sempre, mas ainda temos alguns jogos dessa fase de grupos a cumprir. A classificação ainda não está garantida, mas para aquilo que foi projetado nós estamos felizes", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.