Jason Silva/AGIF
Jason Silva/AGIF

STJD pune federação, árbitro e clubes pelo Atletiba que foi suspenso

Foram aplicadas multas de R$ 10 mil aos times

Estadão Conteúdo

11 Maio 2017 | 20h22

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) definiu nesta quinta-feira as sanções pelos incidentes ocorridos no clássico Atlético-PR x Coritiba que seria disputado no dia 19 de fevereiro, mas acabou suspenso. O órgão considerou que todos os envolvidos foram responsáveis pela não realização do confronto naquele momento e, por isso, puniu os clubes, a Federação Paranaense de Futebol (FPF) e o árbitro Paulo Roberto Alves Júnior.

Em primeira instância, o Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná (TJD/PR) decidiu punir apenas a FPF. Após um recurso, o Pleno do órgão optou por absolver os envolvidos. O caso, então, chegou ao STJD, que reinstaurou a multa de R$ 20 mil à federação, mas multou também os clubes, em R$ 10 mil cada, e suspendeu Paulo Roberto por 30 dias.

No dia 19 de fevereiro, o Atlético-PR receberia o Coritiba na Arena da Baixada pela primeira fase do Campeonato Paranaense. Sem acordo com a TV Globo, os clubes inovaram e acertaram com o YouTube a transmissão do clássico, que não foi disputado naquele dia, por ordem da FPF.

A justificativa era de que havia profissionais não cadastrados no gramado, que trabalhariam na transmissão do jogo pelo site. A federação, então, ordenou que o árbitro não iniciasse o confronto enquanto a questão não fosse resolvida. Por outro lado, os clubes mantiveram o acordo com o YouTube e se negaram a disputar o jogo sem a transmissão.

O duelo, então, só foi disputado no dia 1.º de março, com vitória do Atlético-PR por 2 a 0 sobre o Coritiba. E os clubes venceram a queda de braço, uma vez que a partida, assim como os duelos da finais, justamente entre eles, foram todos transmitidos apenas pelo YouTube.

Mais conteúdo sobre:
futebol Coritiba STJD

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.