Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Substituto de Felipe Melo, Thiago Santos garante Palmeiras pronto para jogar na altitude

Jogador será a principal novidade do time para enfrentar o Jorge Wilstermann, nesta quarta-feira, pela Libertadores

O Estado de S. Paulo

02 Maio 2017 | 15h47

O Palmeiras desembarcou nesta terça-feira pela manhã em Cochabamba, onde na quarta enfrenta o Jorge Wilstermann, pela Copa Libertadores. A equipe terá como uma das mudanças a entrada do volante Thiago Santos na vaga de Felipe Melo, suspenso, e o substituto disse na chegada da equipe à cidade boliviana que tanto ele como o time estão preparados para jogar na altitude de 2,5 mil metros acima do nível do mar.

O elenco viajou sem o zagueiro Edu Dracena e o lateral Zé Roberto, lesionados, e treina nesta terça à noite no local da partida para se ambientar às condições da cidade. "Ainda vamos treinar lá para ver como é. Falam que a bola é mais rápida. Mas nada vai atrapalhar no jogo. Vamos pegar mais esse tempo de bola. A gente ali atrás não pode errar, temos de estar preparado para tudo", disse Thiago Santos em entrevista coletiva.

O volante será o titular porque Felipe Melo recebeu três partidas de suspensão provisória por ter se envolvido na confusão da última semana com os jogadores do Peñarol, do Uruguai, ao vim da partida. A ausência dele deixa Thiago Santos otimista, pois no Campeonato Paulista, no clássico com o São Paulo, ele ganhou a vaga pelo terceiro cartão amarelo do colega e teve bom desempenho em campo.

"Venho trabalhando bastante, sempre me cobraram para trabalhar a saída de bola. Espero que o time não sinta a ausência dele. Todos sabem da qualidade que ele tem e o que acrescenta ao elenco, mas venho trabalhando forte para quando o técnico precisar de mim eu dar conta", afirmou o volante, que neste ano disputou 12 partidas pelo clube.

O jogador palmeirense relembrou que no último encontro entre as equipes, no Allianz Parque, a vitória por 1 a 0 com gol de Mina aos 50 minutos do segundo tmepo deixa a pista de que o jogo em Cochabamba será bastante complicado. "Sabemos que lá em casa já dificultaram bastante. Aqui não vai ser diferente. Viemos para jogar futebol e buscar a vitória. Respeitamos muito a equipe deles, é de qualidade, mas viemos para buscar os três pontos", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.