Marco Bertorello/AFP
Marco Bertorello/AFP

Surpresa da Liga dos Campeões, Monaco desafia a Juventus pelas semifinais

Quem passar no confronto terá pela frente Real Madrid ou Atlético de Madrid na decisão

Estadao Conteudo

03 Maio 2017 | 06h06

Com a promessa de muito equilíbrio, a segunda semifinal da Liga dos Campeões da Europa começa nesta quarta-feira, quando Monaco e Juventus se enfrentam às 15h45 (de Brasília), no estádio Louis II, em Montecarlo. Quem passar terá pela frente Real Madrid ou Atlético de Madrid, que duelaram nesta terça com fácil vitória dos merengues por 3 a 0, no estádio Santiago Bernabéu, em Madri.

Maior surpresa desta semifinal de Liga dos Campeões, o Monaco eliminou o Manchester City e o Borussia Dortmund nas fases anteriores. Por isso, o técnico Leonardo Jardim quer que a sua equipe entre em campo diferente para encarar o adversário de Turim.

"A Juventus é muito diferente do Dortmund e do City. Estes clubes tem uma mentalidade mais ofensiva, menos focada na defesa. Nós vamos precisar prestar atenção nas fase de transição, para a defesa e o ataque. Quando estão bem posicionados, é difícil de marcar contra eles, então precisamos mover a bola rapidamente indo para o ataque", considerou.

Ao longo desta temporada, o Monaco se destacou por seu potente ataque, o melhor da Europa, com mais de 140 gols marcados. Comandado pela revelação Mbappé e o experiente Falcao García, o setor ofensivo monegasco tem sido a força da equipe, mas diante da Juventus é a defesa que mais preocupa Leonardo Jardim.

"A Juventus tem uma cultura vencedora. Eles são muito bem organizados e físicos defensivamente. No ataque, são fortes e realmente só precisam de duas chances para marcar um gol. São precisos e também muito bons taticamente. Eles bloqueiam nossos jogadores e são muito difíceis de defender", analisou.

No lado italiano, o técnico Massimiliano Allegri afirmou em entrevista coletiva nesta terça-feira que o time já sabe o que fazer na partida desta quarta-feira. "Os rapazes devem saber que, para chegar à final, deverão fazer duas partidas 'justas' contra um adversário que será muito complicado. Sabemos que coisa devemos fazer e, sobretudo, o que não devemos fazer, devido às características do Monaco", analisou.

Massilimiano Allegri também destacou os pontos fortes da equipe francesa, atual líder do campeonato nacional. O comandante italiano provocou os adversários com uma piada sobre a invencibilidade dos rivais neste ano. "Nunca perderam? Esperamos que seja a primeira vez. São muito diferentes de dois anos atrás. Antes, eram mais fortes defensivamente. Agora, são muito perigosos no ataque, têm um grande campeão como Falcao (García), que está se recuperando seu nível antes da lesão. Jogam muito com velocidade, verticalidade. Têm zagueiros de valor, meio-campistas de qualidade. Há anos, fazem um trabalho extraordinário. Agora, jogam por uma final de Liga dos Campeões e estão a frente no Campeonato Francês do PSG, que era uma das equipes favoritas na Europa", avaliou.

O veterano goleiro Gianluigi Buffon, que recentemente completou 1.000 jogos na carreira, também em coletiva de imprensa antes do duelo, pregou respeito ao Monaco. O capitão da Juventus destacou o equilíbrio entre as equipes, as habilidades do treinador e classificou o adversário como imprevisível.

"Se Juventus e Monaco chegaram neste ponto da temporada disputando uma semifinal de Liga dos Campeões, acredito que merecem. Creio que será uma disputa equilibrada entre dos times muito importantes, que chegam a este ponto com personalidade. Nos dois duelos, a experiência pode ser a força da nossa parte, mas o Monaco é um time jovem que possui grande vitalidade, terá entusiasmo e uma 'saudável inconsciência'. Acredito que graças aos seus jovens jogadores se sintam indestrutíveis e devemos enfrentar o fato que eles têm grandes valores técnicos", elogiou Buffon.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.