1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Copa 2014

Técnico da Costa Rica fala grosso após vencer Uruguai

Daniel Batista - enviado especial a Recife - O Estado de S. Paulo

19 Junho 2014 | 16h 38

Jorge Luis Pinto conversou com a imprensa nesta quinta-feira, e não revelou a escalação do time que enfrentará a equipe italiana

A surpreendente vitória da Costa Rica sobre o Uruguai, na primeira rodada do Mundial, encheu os costa-riquenhos de confiança. O técnico da equipe, Jorge Luis Pinto, deixou de lado o discurso "pés no chão" e garantiu que pode aprontar também para cima da Itália, adversária desta sexta-feira, na Arena Pernambuco, no Recife.

"Esperamos fazer mais do que fizemos contra o Uruguai. Queremos confirmar a nossa força. Sabemos que o adversário é difícil e temos que prestar muita atenção", disse o treinador da Costa Rica, sempre com um semblante demonstrando seriedade.

Ele sabe que a Costa Rica não vai mais entrar em campo como surpresa. E prefere que seja assim. "Independente de sermos ou não zebra do grupo, estamos no grupo da morte, como muita gente falou. Se é o grupo da morte e estamos nele, é porque nós somos fortes", avaliou.

AP Photo/Antonio Calanni
O técnico se manteve sério durante toda a entrevista

Assim como o técnico italiano Cesare Prandelli, Jorge Luis Pinto não quis dar pistas de qual time vai a campo nesta sexta-feira e se diverte com o mistério. "Vamos ver se ele adivinha a minha escalação e eu adivinho a dele", disse, sem deixar escapar um sorriso sequer, durante entrevista coletiva realizada no estádio.

Deixar de ser surpresa faz com que novas formas de jogar tenham que ser aprendidas. O treinador se disse estar preparado para o desafio. "Treinamos os detalhes que não podemos errar e não vamos só com uma carta na manga. Depende do jogo, posso apostar em uma ou outra coisa, como se fosse um jogo de pôquer", comparou Jorge Luis Pinto.

Copa 2014