Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Esportes

Esportes » Técnico do Chile reclama do gramado da Arena Corinthians

Futebol

Esportes

Copa 2014

Técnico do Chile reclama do gramado da Arena Corinthians

Jorge Sampaoli criticou permissão da Fifa para treinamentos nos estádios antes de partidas importantes como a contra a Holanda

0

Fábio Hecico,
O Estado de S. Paulo

22 Junho 2014 | 15h24

Muita gente estranhou o fato de o Chile ter escolhido o CT do Palmeiras para treinar na véspera de uma partida e também descartar o reconhecimento do campo da Arena Corinthians. O técnico Jorge Sampaoli revelou que isso é uma tática de sua equipe, preocupada em não desgastar o gramado que, palco do confronto desta segunda-feira, foi bastante criticado. 

Único chileno a pisar no campo da Arena Corinthians, o treinador não gostou do que viu e, de quebra, aproveitou para alfinetar a Fifa. A Holanda treinou no estádio momentos antes da chegada do treinador à sede paulistas.

"Normalmente, não treinamos nos estádios do jogo, preferimos ficar mais perto de onde estamos concentrados também para preservar o gramado", disse Sampaoli. "E aqui está bastante desgastado. Não deveria ser permitido tocar no gramado um dia antes, senão amanhã (segunda), numa  partida fundamental, o gramado não estará em condições de hospedar uma partida dessa importância da forma que ela merece."

A abertura da Copa aconteceu em São Paulo com festa simples justamente para preservar o gramado para Brasil x Croácia. Uruguai e Inglaterra também não tiveram do que reclamar na quinta-feira.

Mas agora, são visíveis algumas marcas de desgaste, principalmente nas beiradas e na área. Muitos funcionários mexem no gramado a fim de deixá-lo pronto a tempo, mas a reclamação de Sampaoli tem sentido e os times podem, sim, atuar num campo com falhas.

BRASIL
Sampaoli escolheu uma maneira diferente para revelar que o Chile tenta fugir do confronto com o Brasil nas oitavas de final da Copa do Mundo. Sem citar os anfitriões e garantindo que só pensa na Holanda, o técnico repetiu, inúmeras vezes na coletiva, que "a meta é ficarmos na liderança do grupo". A obsessão pelo primeiro lugar é enorme, a ponto de ele até descartar poupar jogadores e preferir encarar o calor de Fortaleza ao clima mais ameno de Belo Horizonte.

Mesmo classificado de forma antecipada, o Chile tentará superar a Holanda (joga pelo empate por ter melhor saldo de gols) para buscar o topo na chave e, possivelmente, cruzar com o classificado entre México e Croácia. Todos os chilenos dão como certo a vitória brasileira sobre Camarões e a consequente primeira posição no Grupo A.

O técnico argentino, contudo, mostra muito incômodo com as perguntas sobre o Brasil. "Não vamos definir a classificação contra eles (joga antes do Brasil). Mas se tivermos de enfrentá-los, vamos nos preparar, o importante é que cada rival da vez é o mais importante. Se quisermos ser campeões, vamos ter de enfrentar quem for", disse o comandante argentino.

Se o Chile não teme cair na rota do Brasil, então qual motivo leva o técnico a querer ser primeiro e ter de jogar no forte calor cearense? Ele não explica. "Não escolhemos nada aqui, não nos cabe escolher nada. Seguimos o que foi traçado e tentamos da melhor maneira que dê certo. Se formos primeiro, vamos para Fortaleza e pronto. Não temos opção de escolha."

Arturo Vidal, ainda lutando por problemas físicos, deve ser a única ausência do técnico. Até mesmo os pendurados Mena e Aranguíz, titulares, devem começar o jogo. "Não vamos nos preocupar com isso. Se a Holanda vai jogar querendo administrar o saldo, é problema dela. "Podemos preservar algum, mas temos de chegar em primeiro, porque isso nos daria um sustento. Vamos dar prioridade ao jogo de amanhã, que é como se fosse uma final."

Depois de tanto se esquivar sobre um encontro com o Brasil, e falar inúmeras vezes do primeiro lugar, Sampaoli viu, a seu lado, Arturo Vidal jogar contra e revelar o que se é sabido, mas escondido pelo treinador. "Será uma final contra a Holanda, nós dois queremos ser primeiro e quem tiver de enfrentar o Brasil vai ter uma dificuldade maior, um rival complicado, jogando em casa e candidato a campeões."

SEM MOLEZA

Sampaoli não se ilude com a vitória sobre a Espanha e sabe que, apesar de sonhar com o todo do grupo, vai ter uma pedreira pela frente. "Nós sabemos que vamos enfrentar uma seleção muito difícil, que está jogando muito bem na Copa, fez belo jogo com a Espanha. Temos de entrar forte e dar nosso melhor para tentarmos ganhar o grupo", repetiu. "Temos de seguir nossos caminhos, nossas metas e estamos bem preparados."

Elogiado por Van Gaal, o comandante holandês, Sampaoli devolveu a gentileza. Até com certo ufanismo. "Ele é um técnico muito experiente, com currículo forte, bem maior do que o meu e que vai provocar nossas falhas e evitar nossos pontos fortes."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.