Daniel Teixeira/ Estadão
Daniel Teixeira/ Estadão

Técnico do Palmeiras, Eduardo Baptista minimiza elogios de Dudu a Cuca

Atacante havia falado que preferia atuar no esquema de jogo utilizado no ano passado e comandante diz que 'preferência qualquer um tem'

Ciro Campos, Estadao Conteudo

17 Fevereiro 2017 | 08h58

O técnico Eduardo Baptista garantiu na última quinta-feira não ter ficado ofendido com os elogios do capitão do time, Dudu, ao antigo treinador do Palmeiras, Cuca. O atacante havia afirmado em entrevista na segunda-feira que preferia atuar no esquema de jogo utilizado no ano passado, posicionado pelo lado esquerdo, e não na direita, como havia sido escalado na partida anterior, contra o Ituano.

Na quinta, após bater o São Bernardo por 2 a 0, o atual treinador palmeirense disse não ter se importado com a opinião do jogador. "Preferência qualquer um tem. Eu sou católico, o outro é evangélico. O importante é que o trabalho seja conjunto. Temos que remar para o mesmo lado. Temos uma relação muito boa, porque trabalhamos para o Palmeiras vencer. Vi a fala como uma opção dele. Nada demais", disse.

Durante o jogo no Allianz Parque, nesta quinta, Eduardo Baptista ouviu gritos da torcida pela volta de Cuca e algumas vaias enquanto a partida estava empatada sem gols. O técnico afirmou que entende a irritação e vê os apelos como motivação pra continuar a trabalhar. O técnico ex-Ponte Preta chegou ao Palmeiras em dezembro. O contrato é válido por uma temporada.

"Foram mais de 20 mil pessoas que vieram ao estádio em uma quinta-feira. Se não veem um bom futebol, tem que protestar. Sabemos lidar bem com isso. A mudança de postura da torcida vem de dentro do campo para fora. Então, temos que resolver nós mesmos", disse.

O Palmeiras volta a jogar no domingo, contra o Linense, em Araraquara, pelo Campeonato Paulista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.