1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Copa 2014

Técnico sul-coreano assume culpa por fracasso na Copa

CIRO CAMPOS E FÁBIO HECICO - O Estado de S. Paulo

26 Junho 2014 | 20h 31

Com um grupo renovado, Myung-Bo, zagueiro no Mundial 2002, não viu a sua seleção repetir o bom desempenho de outras competições

Hong Myung-Bo tirou das costas de seus jogadores e assumiu para si a culpa pelo vexame da Coreia do Sul na Copa do Mundo. A seleção foi eliminada com apenas um ponto ganho, ficando na lanterna do Grupo H. O treinador foi enfático ao dizer que os resultados negativos saíram por erros seus.

Com um grupo renovado, Myung-Bo não viu a sua seleção repetir o bom desempenho de outras competições. Nem a tradicional velocidade asiática se fez presente em suas três apresentações no Brasil. "Todos os nossos jogadores deram o máximo, o melhor de si, mas acho que talvez tenha sido os meus erros como técnico que causou essa queda", afirmou o treinador, que foi zagueiro em 2002, em seu país, quando o time avançou até as semifinais e terminou em quarto lugar.

O comandante evitou até dar uma nota aos seus jogadores, garantiu que o que foi visto em campo era o melhor dos sul-coreanos e repetiu: "Foi um erro meu que causou o resultado".

José Patrício/Estadão
Seleção sul-coreana somou apenas um ponto nos três jogos da primeira fase

Apesar do vexame no Brasil, Myung-Bo não se vê fora da seleção. Ele garante que não abandonará o cargo e que está pronto para a volta por cima. A resposta viria na Copa da Ásia, no ano que vem. "A opinião dos outros não me afeta, eu que faço meus julgamentos e faço minhas decisões. Não sei o que acontecerá no futuro, mas, no momento, estou pronto para aceitar o que me foi dado", disse. "Começamos com essa equipe e devemos ficar unidos até o final, quero ser responsável por ela até o fim".

Ele disse que não está arrependido, descartou a naturalização de jogadores de outros países para reforçar sua equipe, principalmente a defesa, e festejou o "ganho de experiência" no Brasil. Assumiu, contudo, que o nível sul-coreano ainda é mais fraco que as outras seleções da Copa e que o preparo físico não era o ideal. "Cansávamos no fim dos jogos".

Sobre não escalar o camisa 10 Park-Chu-Young, o treinador garante que nem conversaram antes da partida. "Não conversei com ele pessoalmente, escolhi os jogadores que achei que precisaríamos para esse jogo". No fim, pediu desculpas aos jornalistas de seu país, agradeceu o apoio e pediu que continuem lutando pelo bem do futebol sul-coreano.

Copa 2014

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo